Anais do III Seminário Regional Comércio, Consumo e Cultura nas Cidades

APRESENTAÇÃO PDF

GRUPO DE TRABALHO I - CULTURA URBANA, COTIDIANO E CONSUMO

A CONFECÇÃO DO BORDADO NO DISTRITO DE SAPUPARA, EM MARANGUAPE – CE, E SUA PARTICIPAÇÃO NOS CIRCUITOS DA ECONÔMIA.
Gerlaine Cristina Silva Franco; Nara Gabrielle de Sousa Silva; Samuel Tavares Pinheiro; Alexsandra Maria Vieira Muniz
RESUMO | PDF
A “CASA DO TIRADOR” E AS TERRITORIALIZAÇÕES DAS FESTAS DE REIS DE CARAÚBAS EM GRAÇA/CE
Antonio Jarbas Barros de Moraes; Nilson Almino de Freitas
RESUMO | PDF
AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA (PBF), NA CIDADE DE ALCÂNTARAS/ CE.
Bertoni Vasconcelos Diogo; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
CIDADE, COMÉRCIO E VIOLÊNCIA URBANA NO BAIRRO ITARARÉ NA CIDADE DE TERESINA PIAUÍ
Francisco Jean da Silva Araújo; Antonio Cardoso Façanha
RESUMO | PDF
CÓDIGOS DE POSTURA: AGENTES VIABILIZADORES DO DISCURSO HIGIENISTA NO ESPAÇO URBANO DE FORTALEZA
Karine Ribeiro Estevam
RESUMO | PDF
CONSUMO E CULTURA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E SOCIOLÓGICA
Vicente de Paulo Sousa
RESUMO | PDF
CULTURA, EDUCAÇÃO E COMÉRCIO: ANALISANDO A PAISAGEM DO BAIRRO BENFICA EM FORTALEZA-CEARÁ
Rejane Maria de Souza; Raimundo Elmo de Paula Vasconcelos Júnior
RESUMO | PDF
DO CEARÁ AO PARÁ: PRÁTICAS ESPACIAIS COTIDIANAS
Francisco Ariel dos Santos Silva; Telma Bessa Sales
RESUMO | PDF
FORTALEZA E O MAR: A APROPRIAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS LITORÂNEOS, O CASO DO VILA DO MAR.
Regina Balbino da Silva; Alessandra Viana de Souza; Mara Mônica Nascimento da Silva; Nara Gabrielle de Sousa Silva
RESUMO | PDF
LOTEAMENTO FECHADO COMO “LUGAR DE CONSUMO”
Guilhermina Castro Silva; Antonio Cardoso Façanha
RESUMO | PDF
MÍDIA, CONSUMO E INFÂNCIA: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DA YOUTUBER MIRIM BRASILEIRA JULIANA BALTAR PARA O CONSUMO INFANTIL
Liliane Luz Alves; Alessandra Ribeiro Naka Harumi; Antonio Jerfson Lins de Freitas
RESUMO | PDF
MUDANÇAS, RECRUDESCIMENTO E RESISTÊNCIA DA FEIRA LIVRE DO CRATO - CE: ESTUDO QUALITATIVO
Francisca Marayane Pereira; Maria Soares da Cunha; Maria Dayane Pereira
RESUMO | PDF
O BAIRRO DOM EXPEDITO EM SOBRAL-CE E SUAS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS
Joffre Fontenelle Filho
RESUMO | PDF
O COMÉRCIO E O CONSUMO EM LIMOEIRO DO NORTE-CE: UMA ANÁLISE DA TRANSIÇÃO PARADGMÁTICA DAS FORMAS COMERCIAIS E DOS CONSUMIDORES
Kélbia Geísa Oliveira Chaves; Virginia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
O CONSUMO DE ÁGUA NO ESPAÇO URBANO E O COTIDIANO FEMININO: A REALIZAÇÃO DE TAREFAS DOMÉSTICAS
Dinar Souza da Silva; Juliana Cristina das Chagas de Melo; Laura Susana Duque Arrazola
RESUMO | PDF
O CONSUMO DO CARRO COMO ELEMENTO DE IDENTIDADE SOCIAL
Maria Helena Moraes Batista
RESUMO | PDF
O USO DO ESPAÇO URBANO, POR MEIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE CULTURA PARA A JUVENTUDE: O CASO DO CENTRO URBANO DE CULTURA, ARTE, CIÊNCIA E ESPORTE- CUCA BARRA, EM FORTALEZA-CE
Rachel Facundo Vasconcelos de Oliveira
RESUMO | PDF
OS CENTROS COMERCIAIS PLANEJADOS E SUA INFLUÊNCIA NO SURGIMENTO DE NOVAS CENTRALIDADES UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE - RS
Caio de Andrade Pandolfo; Solismar Fraga Martins
RESUMO | PDF
OS ESPAÇOS DE LAZER E O CONSUMO NAS CIDADES
Laudenides Pontes dos Santos
RESUMO | PDF
SHOPPING RIOMAR PAPICU (FORTALEZA-CE): ENTRE O FETICHISMO, A MERCANTILIZAÇÃO E O CONSUMO.
Ingrid Gomes da Silva; Débora Maria Paulino Viana Rodrigues; Túlio Viana Bandeira; Patrícia de Souza Lima; Camila Dutra dos Santos
RESUMO | PDF
TERRITÓRIOS DA VIOLÊNCIA EM SOBRAL A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA E O CONSUMO NA CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO URBANO
Antonio Jerfson Lins de Freitas; Telma Bessa Sales
RESUMO | PDF
TURISMO, EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE: APONTAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS PARA O PLANEJAMENTO E GESTÃO DO TURISMO SUSTENTÁVEL NA CIDADE DE BOM JESUS DA LAPA-BA
Silvano Messias dos Santos; Paulo Roberto Baqueiro Brandão
RESUMO | PDF
UMA LEITURA DA CENTRALIDADE NO USO DO ESPAÇO PÚBLICO: O PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DO PARQUE DA CRIANÇA (CAMPINA GRANDE-PB)
Maria Jackeline Feitosa Carvalho; Giovana Tavares Lopes
RESUMO | PDF
VILA DO MAR NA COMUNIDADE DO GRANDE PIRAMBU: ESPAÇO DE RESISTÊNCIA NA CIDADE DE FORTALEZA - CE.
Sandra Paula Evaristo Monteiro
RESUMO | PDF
“UM POR TODOS E TODOS POR UM”. EXPERIÊNCIAS MUTUALISTAS NO NOROESTE DO CEARÁ. (1900-1970).
Carlos Augusto Pereira dos Santos
RESUMO | PDF

GRUPO DE TRABALHO II - COMÉRCIO E SERVIÇOS NO ESPAÇO URBANO REGIONAL

A BUSCA PELO ENSINO SUPERIOR E AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS EM UM DISTRITO: UM OLHAR SOBRE JAIBARAS - SOBRAL/CE
Naiana Silva do Nascimento; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
A CARCINICULTURA EM ACARAÚ: PROCESSOS, AGENTES E REBATIMENTOS NO ESPAÇO URBANO E RURAL.
Ana Beatriz Farias da Silva; Camila Dutra dos Santos
RESUMO | PDF
A INCLUSÃO DOS ALUNOS DEPACUJÁ/CE NO ENSINO SUPERIOR: ANALISANDO AS REPERCUSSÕES DO FUNDO DE FINANCIAMENTO ESTUDANTIL (FIES)
Breno de Abreu Lopes; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
A INFLUÊNCIA DO CARIRI GARDEN SHOPPING PARA O DINAMISMO URBANO-REGIONAL DO AGLOMERADO CRAJUBAR
Francisca Fernanda Batista de Castro; Geraldo Batista de Castro; Ivan da Silva Queiroz
RESUMO | PDF
A PRODUÇÃO DE LOTEAMENTOS E A SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL DA CIDADE MÉDIA DE SOBRAL, CEARÁ
Antonia Helaine Veras Rodrigues
RESUMO | PDF
A REESTRUTURAÇÃO DA REDE URBANA BRASILEIRA E AS CIDADES PEQUENAS: O PAPEL DA CIDADE DE BARRAS-PI NOS SERVIÇOS NA ESCALA URBANO-REGIONAL
Wesley Pinto Carneiro
RESUMO | PDF
A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA EMPRESA STERLIX AMBIENTAL PIAUÍ E OS SERVIÇOS DE SAÚDE EM TERESINA-PIAUÍ
Maria Soleny Pinheiro de Sousa; Bartira Araújo da Silva Viana
RESUMO | PDF
AMBULANTES E CAMELÔS DE FEIRA DE SANTANA (BA): ORIGEM E CONSOLIDAÇÃO
Alessandra Oliveira Teles
RESUMO | PDF
AS TRANSFORMAÇÕES NA ATUAÇÃO DO DOCENTE A PARTIR DA FORMAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO NO DISTRITO DE ARAPÁ/TIANGUÁ-CE.
Ernestina Nogueira Medeiros; Luciana Sá Cunha; Maria Cássia de Sá; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS DA FEIRA LIVRE DE IPU-CE: OLHARES, SABERES E LEITURAS DOS ALUNOS NA E.E.E.P. ANTÔNIO TARCÍSIO ARAGÃO
Lucas Ferreira de Freitas
RESUMO | PDF
ATUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ (UVA) NO MUNICÍPIO DE IPU-CE
Carlos Jorge Teixeira; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
AVALIAÇÃO DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO: O CASO DE CRATEÚS - CE
Antônio Adílio Costa da Silva; Luiz Antonio Araújo Gonçalves
RESUMO | PDF
CENTRALIDADES EM MOVIMENTO: DINÂMICA COMERCIAL NA CIDADE DE PELOTAS, RS
Sidney Gonçalves Vieira; Dione Dutra Lihtnov
RESUMO | PDF
COMÉRCIO E CONSUMO DE AGROTÓXICOS NO MUNICÍPIO DE LIMOEIRO DO NORTE - CE
Rafaela Lopes de Sousa; Camila Dutra dos Santos
RESUMO | PDF
COMÉRCIO, FIXOS RELIGIOSOS E DINÂMICA URBANA DO CENTRO DE FORTALEZA – CE.
Alessandra Viana de Souza; Gerlaine Cristina Silva Franco; José Borzacchiello da Silva
RESUMO | PDF
CONCEPÇÕES DE DESENVOLVIMENTO RURAL, RURALIDADES E O MERCADO DA AGRICULTURA FAMILIAR AGROECOLÓGICA EM ALAGOA NOVA - PB
Severino Justino Sobrinho, Nerize Laurentino Ramos
RESUMO | PDF
CONSUMO PRODUTIVO AGRÍCOLA E ECONOMIA URBANA NO OESTE BAIANO
Camila Dutra dos Santos
RESUMO | PDF
DESCENTRALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS E DE SERVIÇOS EM CIDADES MÉDIAS: UMA ANÁLISE DA AVENIDA DR. ARIMATÉA MONTE E SILVA EM SOBRAL-CE
Francisco Ielos Faustino Pereira; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
ESPAÇOS DO COMÉRCIO E SERVIÇOS DE DOM MACEDO COSTA E A INFLUÊNCIA DO DINAMISMO COMERCIAL DE SANTO ANTÔNIO DE JESUS
Alana Tamara Moreira Piton; Flávia de Jesus Santos; João Cancio dos Santos Filho; Joilson Cruz da Silva
RESUMO | PDF
EXPRESSÕES E SIGNIFICADOS DA CENTRALIDADE DO SETOR VAREJISTA EM IMPERATRIZ – MA: REFLEXÕES A PARTIR DO SEGMENTO DE CONFECÇÕES DO CALÇADÃO
Lucas Ribeiro da Silva; Laila Santos Silva; Jailson de Macedo Sousa
RESUMO | PDF
FEIRAS LIVRES REGIONAIS: ESTUDO DE CASOACERCADAS TRANSFORMAÇÕESCOMERCIAISNA FEIRA DE SUMÉ-PB
Gustavo dos Santos Costa; Lincoln da Silva Diniz
RESUMO | PDF
MERCADOS PÚBLICOS: UM NOVO TEMPO, UM NOVO USO: O MERCADO NOVO DE MOSSORÓ
José Lacerda Alves Felipe
RESUMO | PDF
NOVAS FORMAS COMERCIAIS E AS EXPRESSÕES DA CENTRALIDADE URBANA DE IMPERATRIZ- MA: UMA ANÁLISE A PARTIR DA INSTALAÇÃO E DINAMISMO DOS SHOPPINGS CENTERS
Laila Santos Silva; Lucas Ribeiro da Silva; Jailson de Macedo Sousa
RESUMO | PDF
O CIRCUITO SUPERIOR E INFERIOR DO COMÉRCIO DE FLORES EM FORTALEZA
Kassia Kiss Silva da Costa; Camila Dutra dos Santos
RESUMO | PDF
O DISTRITO DE TAPERUABA-SOBRAL(CE): UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS
Renato Oliveira Barros; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda
RESUMO | PDF
O ENSINO SUPERIOR EM TERESINA-PI: ESTADO, MERCADO E ESPAÇO URBANO
Luís Carlos Batista Rodrigues; Antonio Cardoso Façanha
RESUMO | PDF
O PAPEL DOS SHOPPING CENTERS NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA: CENTRALIDADES, COMÉRCIO E CONSUMO
Tiago Estevam Gonçalves; José Borzacchiello da Silva
RESUMO | PDF
O SERVIÇO DE SAÚDE EM SOBRAL: A EXPRESSÃO DA CIDADE MÉDIA NA FORMAÇÃO DA REDE DE ATENDIMENTO PÚBLICA E PRIVADA
Maria Cássia de Sá
RESUMO | PDF
OS SERVIÇOS DE SAÚDE NA 10ª CRES/LIMOEIRO DO NORTE
Keila Andrade Haiashida; Ricardo Hélio Chaves Maia
RESUMO | PDF
PRODUZINDO NO CAMPO, NEGOCIANDO NA CIDADE: DINAMISMO ECONÔMICO E REGIONAL A PARTIR DE UM ARRANJO PRODUTIVO LOCAL EM PICOS/PI
Juscelino Gomes Lima
RESUMO | PDF
QUANDO A “REGIÃO” MODIFICA AS DINÂMICAS TERRITORIAIS DO LUGAR: ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA PÓS-IMPLANTAÇÃO DA POLICLÍNICA BÁRBARA PEREIRA DE ALENCAR EM CAMPOS SALES, CEARÁ.
Mariano de Oliveira Carvalho
RESUMO | PDF
UMA ANÁLISE DO SETOR VAREJISTA DE FLV NOS SUPERMERCADOS EXTRA EM FORTALEZA-CE
Tiago Fernando Gomes Barbosa; Juscelino Eudâmidas Bezerra
RESUMO | PDF
URBANIZAÇÃO TURÍSTICA NA CIDADE DE MACEIÓ - ALAGOAS
Juliana Costa Melo; Paulo Rogério de Freitas Silva; Cícero dos Santos Filho
RESUMO | PDF

GRUPO DE TRABALHO III - MOBILIDADE E REDES COMERCIAIS NAS CIDADES NORDESTINAS

AS REGIÕES METROPOLITANAS DE ALAGOAS: SIGNIFICADOS E REALIDADES DIVERSAS
Cícero dos Santos Filho; Paulo Rogério Freitas da Silva; Juliana Costa Melo
RESUMO | PDF
MIGRAÇÃO E TRABALHO: O COMÉRCIO COMO FORMA DE INSERÇÃO DE MIGRANTES NOS BAIRROS SEMINÁRIO E VILA ALTA EM CRATO/CE
José Eudivan Alves da Silva; Tallison Rocha Lima; Maria Soares da Cunha; José Itallo Silva Ribeiro
RESUMO | PDF
MOBILIDADE, ACESSIBILIDADE E CENTRALIDADE DO COMÉRCIO E SERVIÇOS: ANÁLISE DOS BAIRROS CIDADE NOVA E ALTO DO RECREIO EM SERRINHA-BA
Ciciane Santos Oliveira Souza; Maria da Paz de Jesus Rodrigues
RESUMO | PDF
REDES DE NEGÓCIOS: REPERCUSSÕES SOCIOESPACIAIS
Izabelle Trajano da Silva
RESUMO | PDF
TRABALHO E MOBILIDADE NO CONTEXTO DA PRODUÇÃO CAPITALISTA DO ESPAÇO: BREVES CONSIDERAÇÕES
Glauciana Alves Teles
RESUMO | PDF
A BUSCA PELO ENSINO SUPERIOR E AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS EM UM DISTRITO: UM OLHAR SOBRE JAIBARAS - SOBRAL/CE

Autor(es): Naiana Silva do Nascimento; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: O presente artigo tem como objetivo estudar as transformações socioespaciais do distrito Jaibaras pertencente ao Município de Sobral. O referido Distrito passa por mudanças significativas desde a década de 1970, com a implantação do Perímetro Irrigado Ayres de Souza a margem esquerda do Rio Jaibaras, afluente do Rio Acaraú. Em anos recentes o distrito ganha novos contornos impulsionados pela ampliação do emprego industrial via Grendene e a expansão do Ensino Superior ofertados na cidade de Sobral. Sendo a fluidez entre Sobral e Jaibaras, garantida pela curta distância de 22 km ligados pela BR 222 e CE 183. O intuito central da nossa pesquisa é entender as mudanças recentes a partir do crescente ingresso de estudantes no Ensino Superior, que acaba por influenciar no setor terciário do distrito. Os procedimentos metodológicos usados são as entrevistas com os universitários, observações diretas, captura de imagens por meio de registros fotográficos, levantamento e leituras de trabalhos acadêmicos que versam sobre Sobral.

Palavras-chave: Ensino Superior; Transformações socioespaciais; Jaibaras - Sobral/Ceará

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A CARCINICULTURA EM ACARAÚ: PROCESSOS, AGENTES E REBATIMENTOS NO ESPAÇO URBANO E RURAL.

Autor(es): Ana Beatriz Farias da Silva; Camila Dutra dos Santos

Resumo: Este artigo demonstra que a introdução da carcinicultura no Acaraú vem, nos últimos anos 20 anos modificando a dinâmica urbana do município seja por meio da sua produção, da quantidade de fluxos que a mesma gera, das relações socioeconômicas estabelecidas e ainda dos rebatimentos ambientais gerados, a carcinicultura mostrou-se como uma atividade aquícola bastante promissora, principalmente a partir dos anos 2000. Com o aprimoramento das técnicas de cultivo e o desenvolvimento da larvicultura a produção experimentou uma expansão notável, a criação de camarão no munícipio mostra-se como atividade bastante promissora para as empresas do setor, como também geradora de renda e lucro, para as empresas do setor aquícola. Este texto tem como objetivo principal compreender como a introdução da carcinicultura em Acaraú provoca rebatimentos no espaço urbano e rural do município, movimentando por um lado a economia urbana da cidade, através da chegada de novos estabelecimentos comerciais, como também o aumento de fluxos de capitais do outro lado. A carcinicultura é responsável por diversas desigualdades socioambientais. Observa-se, deste modo à ausência de um estado fiscalizador no município.

Palavras-chave: Acaraú- CE.; Urbanização; Carcinicultura.

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A CONFECÇÃO DO BORDADO NO DISTRITO DE SAPUPARA, EM MARANGUAPE – CE, E SUA PARTICIPAÇÃO NOS CIRCUITOS DA ECONÔMIA.

Autor(es): Gerlaine Cristina Silva Franco; Nara Gabrielle de Sousa Silva; Samuel Tavares Pinheiro; Alexsandra Maria Vieira Muniz

Resumo: Em uma sociedade capitalista, a forma que os homens interagem entre si e com a natureza (re)produz espaços cada vez mais diferenciados, atrelados ao desenvolvimento tecnológico dessa sociedade e sua divisão social do trabalho. O objetivo desse artigo é analisar a confecção do bordado pelas bordadeiras de Dona Maria do Carmo no distrito de Sapupara em Maranguape - CE, e a participação da confecção nos circuitos da economia; de forma a investigar a complexidade da atividade desde a produção até a comercialização do bordado richelieu. Para tanto, o seguinte percurso metodológico foi traçado: Levantamento bibliográfico; análise documental e estatística; trabalho de campo e aplicação de entrevistas semiestruturadas; elaboração de material cartográfico e tabulação dos dados. Evidenciamos a intensa relação do setor inferior da encomia – aqui representado pela confecção - com o superior – representado por empresas como a Água de Côco, sendo o produto richelileu um combustível para essa relação; e ainda, a forma que as bordadeiras encontraram em se inserir na sociedade de consumo por meio dessa atividade artesanal. A produção do richelieu influencia na organização intra-urbana do distrito de Sapupara, impulsionando a criação de novos fixos e na dinâmica urbana pelos fluxos gerados.

Palavras-chave: Industria; Bordado; Comércio

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A INCLUSÃO DOS ALUNOS DEPACUJÁ/CE NO ENSINO SUPERIOR: ANALISANDO AS REPERCUSSÕES DO FUNDO DE FINANCIAMENTO ESTUDANTIL (FIES)

Autor(es): Breno de Abreu Lopes; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: Verifica-se nos últimos quinze anos a expansão da oferta do Ensino Superior no Brasil, abrangendo cada vez mais lugares de diferentes escalas. Nesse contexto, o presente artigo tem como objetivo central analisar como o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), criado pela lei complementar número 10.20 de julho de 2001, enquanto programa de financiamento de cursos superiores repercute no acesso a essa modalidade de ensino em uma Cidade Pequena. Tomamos como estudo a cidade pequena de Pacujá em sua relação com a cidade média de Sobral, ambas situadas no noroeste cearense.

Palavras-chave: Ensino Superior; Financiamento estudantil; Cidade pequena

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A INFLUÊNCIA DO CARIRI GARDEN SHOPPING PARA O DINAMISMO URBANO-REGIONAL DO AGLOMERADO CRAJUBAR

Autor(es): Francisca Fernanda Batista de Castro; Geraldo Batista de Castro; Ivan da Silva Queiroz

Resumo: Este trabalho surge com o proposito de analisar a influência do Cariri Garden Shopping (CGS), para o dinamismo urbano-regional dos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, também conhecidos como CRAJUBAR. Instalado em Juazeiro do Norte há pouco menos de 20 anos, este empreendimento, inicialmente denominado Cariri Shopping, passou por um processo de ampliação da sua área bruta locável, incorporou uma nova infraestrutura e foi reinaugurado em meados de 2012. Após adotar sua nova marca “Garden” de uma importante rede de shoppings nacional, a Tenco shopping centers, o CGS, vem provocando mudanças na organização socioespacial deste aglomerado, além de intensificar o dinamismo socioeconômico da emergente Região Metropolitana do Cariri (RMCariri). Ressaltamos, à necessidade de construir uma análise reflexiva acerca do CGS, visto que ele se apresenta como um dos pilares do processo de modernização de Juazeiro do Norte, sem perder de vista que se trata de um centro de consumo resultado de ações de agentes capitalistas.

Palavras-chave: Cariri Garden Shopping; CRAJUBAR; Modernização; Dinamismo socioeconômico; Agentes capitalistas.

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A PRODUÇÃO DE LOTEAMENTOS E A SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL DA CIDADE MÉDIA DE SOBRAL, CEARÁ

Autor(es): Antonia Helaine Veras Rodrigues

Resumo: O trabalho busca ampliar os estudos acerca das cidades cearenses e de suas transformações socioespaciais nas últimas décadas. Investiga-se a produção do espaço urbano da cidade de Sobral a partir da expansão dos loteamentos nas áreas periféricas da cidade. O dinamismo da produção do espaço a partir da ação dos promotores imobiliários e do Estado tem repercutido em uma intensa (re)produção do espaço urbano que tem se configurado em segregação socioespacial e contribuído para a valorização do solo urbano em algumas áreas. A cidade média de Sobral tem se consolidado enquanto referência de crescimento e desenvolvimento econômico no interior do Ceará, atraindo consequentemente, distintas classes sociais. Estas buscam novos espaços de moradia e novas formas de usos deste espaço urbano, além dos serviços de educação, saúde, comércio, lazer, cultura e no setor industrial.

Palavras-chave: Produção do espaço urbano; Loteamentos; Segregação socioespacial; Dinâmica Urbana; Sobral

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A REESTRUTURAÇÃO DA REDE URBANA BRASILEIRA E AS CIDADES PEQUENAS: O PAPEL DA CIDADE DE BARRAS-PI NOS SERVIÇOS NA ESCALA URBANO-REGIONAL

Autor(es): Wesley Pinto Carneiro

Resumo: A pesquisa tem como objetivo geral, destacar o papel exercido pela cidade de Barras-PI no contexto regional, a partir dos serviços financeiros, previdenciários e educacionais no que se refere aos relacionamentos com outros municípios do Território dos Cocais. Como objetivos específicos, a pesquisa propõe refletir sobre a importância das cidades pequenas e seu papel na rede urbana brasileira, bem como abordar as considerações teóricas acerca do conceito de cidades pequenas, e caracterizar a cidade de Barras-PI quanto aos níveis de centralidade proposto pela pesquisa do IBGE (2007) “Regiões de Influências de Cidades”. Desenvolveu-se o estudo das cidades pequenas e as transformações recentes na rede urbana brasileira com ênfase em autores como Santos (1982), Soares (2006), Corrêa (2011), dentre outros, que contribuíram para a reflexão sobre as cidades pequenas como componentes importantes no estudo da rede urbana, bem como a utilização do estudo do IBGE(2007) sobre as Regiões de Influências de Cidades (REGIC).

Palavras-chave: Rede Urbana; Cidade Pequena; Barras

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA EMPRESA STERLIX AMBIENTAL PIAUÍ E OS SERVIÇOS DE SAÚDE EM TERESINA-PIAUÍ

Autor(es): Maria Soleny Pinheiro de Sousa; Bartira Araújo da Silva Viana

Resumo: Esta pesquisa foi produzida com a finalidade de buscar informações sobre a responsabilidade socioambiental da empresa Sterlix Ambiental Piauí durante a coleta e tratamento de resíduos de serviços de saúde. Dessa forma, o estudo objetivou analisar as políticas de responsabilidade socioambiental desenvolvidas pela empresa Sterlix Ambiental Piauí, destacando a problemática dos resíduos sólidos de serviços de saúde em Teresina-Piauí. A metodologia utilizada consistiu na análise bibliográfica e seleção de fontes de documentos referentes à temática do trabalho. Também foram realizadas visitas in locu para realização de entrevistas com roteiro estruturado e observação da estrutura física da empresa. Os resultados mostram que o foco da empresa na responsabilidade socioambiental é importante para a imagem da mesma diante dos seus clientes, visto que a sociedade está se preocupando cada vez mais em buscar serviços de empresas que visam a sustentabilidade, e que se posicionem de forma responsável socialmente e ambientalmente, além de contribuir economicamente para o desenvolvimento da região. Conclui-se que a Sterlix Ambiental Piauí é uma empresa piauiense que inclui a responsabilidade socioambiental em suas atividades, exemplo disso, são os cuidados com o manuseio e a coleta e gerenciamento e destinação final dos resíduos de forma adequada.

Palavras-chave: Serviços de Saúde; Sustentabilidade; Teresina

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

A “CASA DO TIRADOR” E AS TERRITORIALIZAÇÕES DAS FESTAS DE REIS DE CARAÚBAS EM GRAÇA/CE

Autor(es): Antonio Jarbas Barros de Moraes; Nilson Almino de Freitas

Resumo: O artigo tem como objetivo antecipar algumas reflexões teóricas e metodológicas ocasionadas pela pesquisa que está sendo feita sobre as festas no município de Graça-CE, mais especificamente as festas de reis na comunidade de Caraúbas, partindo, especialmente, da “casa do tirador”. Dentre outras questões pensamos as dinâmicas nas disputas pelo território. Realizamos registros videográfico e de áudio na pesquisa de campo do reisado no ano 2016. A pesquisa se encontra em andamento, mas já demonstra que as festas desenvolvem uma geografia detentora de espacialidades vivas e múltiplas, constituídas por práticas culturais, definindo territórios que não podem ser entendidos como estáveis e definitivos. O território das festas de reis desenvolvem práticas cotidianas no espaço, compreendem dinâmicas sociais criadas pelas pessoas em um movimento de territorialização. Este movimento pode ser visto em suas dinâmicas sinergéticas constituídas por tensões entre agências múltiplas. Com base em experiência inicial da pesquisa passamos a compreender a importância das escalas microssociais para pensar direcionamentos conceituais que visam contribuir metodologicamente para estudos que possam compreender a territorialização como agências de várias subjetividades. A “casa do tirador” vai ser o elemento empírico que vai servir como ponto de partida para as reflexões teóricas e metodológicas aqui expostas.

Palavras-chave: Cultura; Festa,; Território

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AMBULANTES E CAMELÔS DE FEIRA DE SANTANA (BA): ORIGEM E CONSOLIDAÇÃO

Autor(es): Alessandra Oliveira Teles

Resumo: O comércio é a atividade de maior relevância na organização espacial e socioeconômica de Feira de Santana. Responsável por sua implantação e consolidação, reflete, através de seus agentes, as permanências e mudanças que vem atravessando ao longo das décadas. Como objetivo estabeleceu-se analisar as permanências e mudanças promovidas no centro comercial a partir do comércio informal realizado por ambulantes e camelôs. A metodologia teve como base a formulação de questões a serem respondidas ao longo do estudo, perguntou-se: De que maneira o comércio informal promove a reafirmação da centralidade intraurbana em Feira de Santana e a complexidade no uso desse espaço demonstra a formação de territorialidades específicas? A realização de revisão teórico-conceitual contribuiu para a delimitação das informações necessárias. A pesquisa documental foi subdividida em duas bases, a bibliográfica, na qual foi realizado breve levantamento bibliográfico, através de consultas a livros, periódicos, teses, dissertações e monografias que serviram para a elaboração do referencial teórico. A partir disso, foi realizada uma segunda etapa, definida como observação de campo, teve como propósito o reconhecimento e caracterização da área de estudo através de pesquisa de campo. Os resultados foram tabulados e organizados como parte desse artigo.

Palavras-chave: Ambulantes e camelôs; Comércio de rua; Comércio informal; Espaço público

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AS REGIÕES METROPOLITANAS DE ALAGOAS: SIGNIFICADOS E REALIDADES DIVERSAS

Autor(es): Cícero dos Santos Filho; Paulo Rogério Freitas da Silva; Juliana Costa Melo

Resumo: Essa pesquisa aborda o tema – As regiões metropolitanas de alagoas: significados e realidades diversas - tendo como objeto analisar as regiões metropolitanas alagoanas, fundamentando-se na condição socioeconômica do Estado. Sua justificativa ocorre pela importância desses arranjos para o desenvolvimento dos estados e municípios, porém nem todos conferem à ordem em promover o exercício das funções públicas de interesse comum. Essa realidade satisfaz em Alagoas, pois esses arranjos são geridos por modelos abstratos que não consegue oferecer o mecanismo de desenvolvimento. A metodologia utilizada adota uma abordagem de cunho qualitativo que através de levantamento bibliográfico em orgãos públicos, como IBGE, SEPLAG e Assembleia Legislativa de Alagoas garantiu o suporte desejado. Como fundamentação teórica elencamos os conceitos sobre a organização espacial, região metropolitana, urbanização e metropolização. Os resultados indicam que a organização espacial alagoana enfrenta problemas para diversificar as atividades produtivas. Dentre os setores da economia responsáveis pela dinâmica destacamos o setor terciário que nos últimos anos foi impulsionado pela construção civil. O setor secundário ainda não satisfaz em Alagoas. Contudo, percebe-se que as regiões metropolitanas de Alagoas passam apenas por um recorte territorial com propósito de formalizar uma entidade com circunscrição regional de planejamento.

Palavras-chave: Região Metropolitana; Espacialidade; Institucionalidade; Economia

Grupo de trabalho: GT 3 - Mobilidades e redes comerciais nas cidades nordestinas

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA (PBF), NA CIDADE DE ALCÂNTARAS/ CE.

Autor(es): Bertoni Vasconcelos Diogo; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: O presente artigo tem como principal objetivo analisar as transformações socioespaciais na cidade de Alcântaras/CE, com a implantação do Programa Bolsa Família (PBF). O referido município está localizado sobre a Serra da Meruoca, região Noroeste do estado do Ceará, a 268 Km da Capital do Estado, Fortaleza. O município conta com uma população de 10. 771 habitantes. A cidade surgiu em torno da capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, construída em 1908. Em suas décadas de história, Alcântaras passou por significativas mudanças; já pertenceu a Sobral, Massapê e Meruoca. No ano de 1957 foi elevada a categoria de Município. O que tem se observado nas duas últimas décadas é uma aceleração das alterações socioespaciais no espaço urbano, desdobramento do Programa Bolsa Família, que passou a contribuir com mudanças de hábitos de consumo dos moradores de Alcântaras.

Palavras-chave: Transformações socioespaciais; Programa Bolsa Família; Alcântaras/CE.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AS TRANSFORMAÇÕES NA ATUAÇÃO DO DOCENTE A PARTIR DA FORMAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO NO DISTRITO DE ARAPÁ/TIANGUÁ-CE.

Autor(es): Ernestina Nogueira Medeiros; Luciana Sá Cunha; Maria Cássia de Sá; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: É inconteste que a presença da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), enquanto Instituição de Ensino Superior se constituiu em forte expressão na expansão e interiorização do Ensino Superior no Estado do Ceará, por meio de parcerias com municípios, a exemplo de Tianguá- CE. O presente artigo analisa as transformações no perfil do profissional docente do distrito de Arapá, pertencente ao município de Tianguá, a partir da formação superior ofertada pela (UVA) e seus rebatimentos na educação básica de Arapá. A interiorização do Ensino Superior nos últimos quinze anos facilitou o acesso de muitos jovens a um curso superior com destaque para as licenciaturas e contribuiu para a melhora dos índices educacionais de muitas cidades, mas quase inexistem avaliações qualitativas sobre o desdobramento da formação do professor para educação em lugares distante das cidades, nesse sentido nossa análise ganha relevo.

Palavras-chave: Formação de Professores; Educação Básica; Arapá-Tianguá/Ceará

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS DA FEIRA LIVRE DE IPU-CE: OLHARES, SABERES E LEITURAS DOS ALUNOS NA E.E.E.P. ANTÔNIO TARCÍSIO ARAGÃO

Autor(es): Lucas Ferreira de Freitas

Resumo: O presente artigo tem como principal objetivo analisar as transformações socioespaciais da feira livre de confecções e artigos em geral de Ipu-CE, município localizado na Região Noroeste do Estado do Ceará, a 324 km da capital do Estado, Fortaleza. Desde sua criação, a feira livre de Ipu-CE, mais popularmente conhecida como “Shopping Chão”, passou por diferentes lugares na cidade chegando até mesmo a ser organizada no município de Varjota. Essas mudanças de território implicaram na própria organização da feira. O entendimento de como se configura o espaço a partir da dinâmica das ações do homem, no caso, seu fazer econômico, é fundamental para o estudo da Geografia. Por isso, aliou – se a análise do tema como estudo acadêmico com a proposta pedagógica de envolver alunos da Escola Estadual de Ensino Profissionalizante de Ipu sobre a partir de como percebem a feira e podem analisá – lo à luz da Geografia. Realizou - se levantamentos bibliográficos a respeito da origem das feiras livres e suas metamorfoses dentro e fora da cidade. Também trabalhos de campo, entrevistas, aplicação de questionários, fotografias, conversas informais com moradores, realização de uma oficina na E.E.E.P. Antônio Tarcísio Aragão. Os resultados obtidos demonstram como os alunos entendem a feira antes e depois da oficina.

Palavras-chave: Transformações Socioespaciais; Feira Livre; Ensino de Geografia

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

ATUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ (UVA) NO MUNICÍPIO DE IPU-CE

Autor(es): Carlos Jorge Teixeira; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: O presente artigo constitui-se em um estudo sobre a Expansão do Ensino Superior no Noroeste Cearense, tendo como foco o papel da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), sediada em Sobral – CE e suas repercussões no Município de IPU-CE. Anterior ao seu reconhecimento como universidade em 1984, a UVA já se consolidava no Noroeste cearense como porta de entrada para o ensino superior para alunos oriundos de dezenas de municípios, dentre os quais, o município de Ipu, importante centro emissor de universitários que se deslocam diariamente a Sobral e que encontram na UVA a oportunidade de retornar ao lugar de origem com uma formação. Posto isto, o objetivo central é analisar as contribuições da UVA enquanto instituição pública para o desenvolvimento regional, e nessa perspectiva, suscitar as seguintes discussões: Como vem ocorrendo a inserção de profissionais formados nessa Instituição no mercado de trabalho no município de Ipu? Como vem se transformando a procura pela UVA nos últimos anos? Mediante estas condições, analisaremos o contexto do ingresso do aluno de Ipu no ensino superior, tendo em vista os desdobramentos da oferta desta modalidade de ensino, seja pela diversificação de instituições e cursos, o acesso ao crédito educativo, seja pelos novos papeis assumidos pela UVA neste percurso.

Palavras-chave: Ensino Superior; Sobral; Ipu

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO: O CASO DE CRATEÚS - CE

Autor(es): Antônio Adílio Costa da Silva; Luiz Antonio Araújo Gonçalves

Resumo: A Lei de criação dos Institutos Federais, 11.892 de 29 de dezembro de 2008, prioriza, como missão institucional, a contribuição para o desenvolvimento socioeconômico local e regional. Sendo assim, o presente artigo tem como objetivo maior realizar uma breve análise da política de expansão dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, buscando investigar se está havendo uma efetiva interiorização dessas instituições de ensino e se esta política pública tem alcançado o seu objetivo, para tal dedicamos especial atenção à análise da evolução do Instituto Federal do Ceará - IFCE. O artigo também apresenta a evolução do processo de implantação do Campus de Crateús - CE, buscando averiguar as transformações advindas dessa implantação e da escolha dos cursos instalados para o desenvolvimento da cidade e de sua microrregião.

Palavras-chave: Institutos Federais; Expansão; Desenvolvimento

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CENTRALIDADES EM MOVIMENTO: DINÂMICA COMERCIAL NA CIDADE DE PELOTAS, RS

Autor(es): Sidney Gonçalves Vieira; Dione Dutra Lihtnov

Resumo: O trabalho analisa as alterações na localização das atividades comerciais ao longo do tempo na cidade de Pelotas, RS, Brasil. Parte do pressuposto de que a localização comercial apresenta uma dinâmica variável ao longo do tempo em função das alterações que ocorrem na própria realidade social. A configuração espacial da cidade vai sofrendo mudanças baseadas na sua dinâmica demográfica, social e econômica que alteram os interesses de localização dos negócios na cidade. O estudo mapeia, usando geotecnologia, os deslocamentos das localizações espaciais, utilizando como base de dados os Alvarás Comerciais emitidos pela Prefeitura Municipal da cidade estudada.

Palavras-chave: Localização comercial; Dinâmica comercial; Centralidade

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CIDADE, COMÉRCIO E VIOLÊNCIA URBANA NO BAIRRO ITARARÉ NA CIDADE DE TERESINA PIAUÍ

Autor(es): Francisco Jean da Silva Araújo; Antonio Cardoso Façanha

Resumo: Este artigo tem como objetivo geral analisar as mudanças provocadas pela violência urbana no cotidiano dos pequenos comerciantes do bairro Itararé em Teresina-PI. O referido trabalho buscou verificar as principais mudanças que o medo da violência urbana tem provocado no cotidiano dos pequenos comerciantes, identificando as medidas de segurança adotadas por eles para minimizar os crimes de roubos e furtos em seus estabelecimentos. Os procedimentos de investigação foram baseados na pesquisa bibliográfica realizada através de consultas em livros, artigos científicos e fontes pesquisadas em websites referentes à temática, além da realização de entrevistas com cinco comerciantes, escolhidos aleatoriamente, com o objetivo de conhecer de perto, tais mudanças. Como resultado, constatou-se que embora as práticas criminosas sejam, por vezes, inevitáveis, algumas medidas são adotadas como, por exemplo, o uso de grades de ferro nas portas de entradas dos estabelecimentos comerciais, evitando que pessoas estranhas adentrem o comércio, em alguns estabelecimentos, essas grades são colocadas nos horários do dia que os comerciantes avaliam como sendo mais perigoso. Outra medida que muitos comerciantes adotam é fechar o comércio naqueles horários onde as ruas ficam pouco movimentadas, ou seja, no intervalo entre 12h:00mim às 14h:00mim e depois das 21h:00mim.

Palavras-chave: CIDADE; COMÉRCIO; VIOLÊNCIA URBANA; MEDO

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CÓDIGOS DE POSTURA: AGENTES VIABILIZADORES DO DISCURSO HIGIENISTA NO ESPAÇO URBANO DE FORTALEZA

Autor(es): Karine Ribeiro Estevam

Resumo: Ensaio sobre a utilização dos Códigos Posturas como agentes viabilizadores das práticas urbanas higienistas na cidade de Fortaleza, durante o período da Belle Époque (1860-1930). Analiso através de uma apreciação sobre o contexto e caracterização das teorias urbanas ambientalistas; a respeito do discurso higienista em vigor na cidade e a suas correlações com os Códigos de Posturas. Não temos a pretensão de encerrar o debate sobre esta questão, mas compreender como esses impuseram à cidade os anseios de saúde e higiene através da promoção de uma nova ordem de convívio social, por meio dos seus dispositivos legais.

Palavras-chave: Códigos de Postura; Higienismo; Práticas Urbanas.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

COMÉRCIO E CONSUMO DE AGROTÓXICOS NO MUNICÍPIO DE LIMOEIRO DO NORTE - CE

Autor(es): Rafaela Lopes de Sousa; Camila Dutra dos Santos

Resumo: Nas cidades que são influenciadas pelo agronegócio, há condições favoráveis para a materialização da reprodução do capital agrícola. Os avanços do período técnico-científico-informacional, permitiu, então, o desenvolvimento de produtos, onde, é cada vez mais necessário para se produzir em grande escala, seguido de padrões de uma modernização agrícola, excludente e conservadora. A difusão do agronegócio na região do Baixo Jaguaribe, no estado do Ceará, tem seguido proporções em que é necessário entender as dinâmicas de comercialização e consumo de insumos agrícolas, principalmente de agrotóxicos. Limoeiro do Norte, uma das cidades do Baixo Jaguaribe, está cada vez mais inserida numa economia urbana atrelada ao agronegócio, a partir de um desenvolvimento trazido por essa agricultura capitalista, onde sua principal função se associa às demandas produtivas dos setores agregados à modernização da agricultura. Portanto, a cidade de Limoeiro do Norte se insere no comércio de insumos agrícolas, principalmente de agrotóxicos, onde há uma variedade de pontos de vendas e comercialização desses produtos. Temos, portanto, o objetivo de entender como funciona a comercialização e o consumo dos agrotóxicos no município de Limoeiro do Norte, voltada a atender, principalmente, as demandas das empresas agrícolas do Baixo Jaguaribe.

Palavras-chave: Agronegócio; Agrotóxicos; Comercialização; Consumo; Economia Urbana

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

COMÉRCIO, FIXOS RELIGIOSOS E DINÂMICA URBANA DO CENTRO DE FORTALEZA – CE.

Autor(es): Alessandra Viana de Souza; Gerlaine Cristina Silva Franco; José Borzacchiello da Silva

Resumo: Ao longo da história as igrejas assumiram um importante papel na formação das cidades, influenciando na organização do espaço urbano, se intensificando principalmente no século XXI com a formação de novos fixos voltados a função religiosa. O objetivo principal desse artigo é analisar a relação entre a dinâmica urbana impulsionada pelas igrejas Universal do Reino de Deus e a Catedral Metropolitana da Sé, e o comércio estabelecido em seu entorno, no Centro de Fortaleza – CE; bem como a relação destes entre si, de forma a entender os impactos na organização espacial do lócus escolhido. Para tanto, se fez necessário traçar o seguinte percurso metodológico: Pesquisa bibliográfica-exploratória; Pesquisa documental; Pesquisa de Campo; Tabulação e análise dos dados coletados. Desse modo, constatamos que o Centro de Fortaleza ainda desempenha várias funções que confirmam sua dinamização; Os membros das igrejas analisadas são os responsáveis pelo consumo das mercadorias vendidas em seu entorno, fazendo com que haja uma certa relação de dependência do setor informal com as igrejas. Com isso, as perspectivas apontam para o crescimento no número de ambulantes, nestes entornos.

Palavras-chave: Centro de Fortaleza; Fixos religiosos; Comércio

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CONCEPÇÕES DE DESENVOLVIMENTO RURAL, RURALIDADES E O MERCADO DA AGRICULTURA FAMILIAR AGROECOLÓGICA EM ALAGOA NOVA - PB

Autor(es): Severino Justino Sobrinho, Nerize Laurentino Ramos

Resumo: Este artigo busca ressaltar os diversos rurais e ruralidades no Brasil e um contraponto à Agricultura Familiar Agroecológica de Alagoa Nova-PB, que em meio a uma agricultura de larga escala, os agricultores resistem aos processos hegemônicos da agricultura mundial. A Revolução Verde surge para um aumento produtivo e trazendo consigo malefícios e dependência de agricultores a indústria da agricultura. As revisões teóricas e metodológicas, assim como pesquisa exploratória em campo contribuíram para a construção do texto. Contudo os mercados agroecológicos surgem para um maior dinamismo econômico no campo. As feiras agroecológicas locais e os mercados alimentícios da Paraíba de outros estados contribuem para a dinâmica comercial da Agroecologia no município. Contudo, a pequena produção agroecológica não possui poder financeiro para atingir outros mercados, acarretando a intermediação de terceiros na produção, apesar do apoio da Ecoborborema, polo Sindical da Borborema e AS-PTA para o desenvolvimento das práticas agrícolas e comerciais.

Palavras-chave: Agricultura Familiar Agroecológica, Rural, Ruralid

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CONSUMO E CULTURA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E SOCIOLÓGICA

Autor(es): Vicente de Paulo Sousa

Resumo: O artigo aqui desenvolvido trata de discutir o Consumo a partir das perspectivas históricas e sociológicas, tentando compreender as mudanças surgidas ao longo dos tempos. É uma discussão epistemológica ou analítica sobre o fenômeno mencionado, pois, segundo os autores que deram suporte nesse propósito discursivo, o Consumo é uma prática antiga, ou mesmo uma condição intrínseca aos seres humanos (BAUMAN, 2008), visto que, precisamos consumir algo para a satisfação das nossas necessidades todos os dias. Mas ele pode também ser visto e discutido a partir das invenções e estratégias do mundo capitalista e globalizado, que constantemente se reinventa com apelos e imagens urgentes com o intuito de fazer ou gerar nas mentes necessidades que devem ser preenchidas na aquisição de coisas descartáveis, o que torna também descartáveis as sensações de prazer e bem estar. Para a execução desse estudo, a orientação metodológica adota foi a abordagem bibliográfica que forneceu subsídios analíticos para a compreensão e a elaboração desse texto. A conclusão obtida foi de que estamos inseridos num sistema que se reorganiza constantemente e se apropria até mesmo dos momentos de crise para idealizar estratégias que possam lucrar e oferecer novas possibilidades aos sujeitos sociais como alternativas de saída.

Palavras-chave: Consumo; Consumismo; Cultura.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CONSUMO PRODUTIVO AGRÍCOLA E ECONOMIA URBANA NO OESTE BAIANO

Autor(es): Camila Dutra dos Santos

Resumo: A economia urbana deve ser compreendida de forma ampla, incluindo as mudanças no campo e na cidade. A difusão do agronegócio no Oeste Baiano, a partir dos anos 1980, implicou num maior e mais especializado consumo produtivo agrícola, com base na demanda de insumos e serviços modernos para atender às empresas e fazendas produtoras de commodities agrícolas, sobretudo da soja. Com isto, algumas cidades do espaço urbano regional do Oeste Baiano, sobretudo aquelas próximas às áreas de produção agrícola moderna, incorporaram um número expressivo de estabelecimentos comerciais de insumos e prestadoras de serviços que surgiram ou se incrementaram para atender as novas demandas produtivas do agronegócio em expansão. Para o entendimento do papel central dos espaços urbanos no avanço do agronegócio no Oeste Baiano, é preciso compreender, portanto, a relação campo-cidade e a importância que a difusão do consumo produtivo agrícola tem na economia urbana da região.

Palavras-chave: Agronegócio; Relação Campo-Cidade; Consumo Produtivo Agrícola; Economia Urbana; Oeste Baiano

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

CULTURA, EDUCAÇÃO E COMÉRCIO: ANALISANDO A PAISAGEM DO BAIRRO BENFICA EM FORTALEZA-CEARÁ

Autor(es): Rejane Maria de Souza; Raimundo Elmo de Paula Vasconcelos Júnior

Resumo: O bairro Benfica localizado na cidade de Fortaleza no estado do Ceará, é um espaço que concentra diversas atividades, destacando o comércio e a educação. Essa tornou-se um referencial para o bairro a partir da criação e consolidação de uma das principais instituições de ensino superior do estado, a Universidade Federal do Ceará – UFC. Ao longo do tempo a universidade alterou significativamente a paisagem do bairro, principalmente com as diversas instalações administrativas e acadêmicas, assim como o intenso fluxo de pessoas que mantém constantes relações com o bairro e a universidade. A pesquisa tem como objetivo entender a percepção dos sujeitos sobre as alterações na paisagem do bairro após a criação da UFC, compreendendo como essa instituição proporcionou a intensificação do comércio e a preservação da cultura. Para o desenvolvimento do estudo, foram necessários os seguintes procedimentos operacionais: a revisão bibliográfica e entrevistas semiestruturadas. Dividimos os entrevistados em cinco grupos, realizando o número de dez entrevistas com cada grupo, totalizando cinquenta. Os grupos de entrevistados foram divididos da seguinte maneira: moradores antigos, frequentadores, professores, alunos e funcionários da UFC. Para eles, a UFC possui grande relevância nas alterações na paisagem do Benfica, propiciando, ao mesmo tempo, a preservação do patrimônio cultural do bairro. Os sujeitos demonstraram que as relações que possuem o bairro são diversas, destacando-o como local de estudo, lazer, moradia e comércio.

Palavras-chave: Paisagem; Comércio; Educação.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

DESCENTRALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS E DE SERVIÇOS EM CIDADES MÉDIAS: UMA ANÁLISE DA AVENIDA DR. ARIMATÉA MONTE E SILVA EM SOBRAL-CE

Autor(es): Francisco Ielos Faustino Pereira; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: O artigo ora apresentado analisa o processo de descentralização das atividades comerciais e de serviços em cidades médias, tendo como objeto empírico de investigação a Avenida Dr. Arimathéa Monte e Silva (popularmente chamada de Avenida do Contorno), situada na cidade de Sobral, Ceará. Esse centro urbano vem passando, nas últimas décadas, por um intenso processo de reestruturação de seu espaço com a descentralização das atividades terciárias para territórios além-centro, com busca seletiva pelas vias de saída da cidade. Na intenção de compreender os fatores que movem esse processo em Sobral, optamos por trabalhar com as definições de: centro e centralidade; reestruturação urbana; descentralização; dentre outros. No que consiste a metodologia utilizada, realizamos: levantamento bibliográfico acerca das definições mencionadas; leituras de trabalhos que abordam a cidade de Sobral e; trabalho de campo, com levantamento de dados em diversas instituições, observações diretas e registro fotográfico, realização de entrevistas com a gestão municipal e associações ligadas as atividades terciárias e aplicação de questionários junto aos proprietários de estabelecimentos comerciais e de prestadoras de serviços localizados na Avenida em destaque. Os resultados evidenciam que a descentralização das atividades comerciais e de serviço ainda está em curso na cidade de Sobral, com tendência a uma dinâmica cada vez mais intensa.

Palavras-chave: Descentralização; Cidades Médias; Sobral

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

DO CEARÁ AO PARÁ: PRÁTICAS ESPACIAIS COTIDIANAS

Autor(es): Francisco Ariel dos Santos Silva; Telma Bessa Sales

Resumo: O presente artigo tem por finalidade demonstrar e evidenciar um fluxo migratório ocorrido no século XX, especificamente nos anos 80 desse respectivo século. É notório que desde a formação territorial do Brasil muitos contingentes populacionais migraram a outras províncias e Estados, sobretudo em busca de trabalho, novas atividades econômicas e a sobrevivência que foi o caso de muitos nordestinos. O estudo da migração interna do Brasil vem ganhando ênfase em campo de estudos de diversas áreas, tornando-se evidente que essas correntes migratórias dentro do espaço geográfico trouxeram consequências como: povoamento em áreas despovoadas, trocas de culturas e novas classes sociais distintas. É possível perceber que há um diálogo específico entre as áreas de conhecimentos como a História e a Geografia. As narrativas (adquiridas por meio de entrevistas) de dois amigos cearenses que migraram ao Norte do Brasil foram fundamentais para evidenciar esse processo migratório partindo do fluxo de Morrinhos-CE à Santa Luzia do Pará-PA. A pesquisa não traz um objetivo especifico em explicitar teoricamente a migração interna no Brasil, mas sim dar visibilidade às vozes, as experiências daqueles que realmente vivenciaram esse processo migratório.

Palavras-chave: Migração; História Oral; Espaços Vividos

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

ESPAÇOS DO COMÉRCIO E SERVIÇOS DE DOM MACEDO COSTA E A INFLUÊNCIA DO DINAMISMO COMERCIAL DE SANTO ANTÔNIO DE JESUS

Autor(es): Alana Tamara Moreira Piton; Flávia de Jesus Santos; João Cancio dos Santos Filho; Joilson Cruz da Silva

Resumo: O presente trabalho visa analisar a microcefalia comercial urbana em Dom Macedo Costa/BA, assim como destacar quais motivos levam significativa parcela de sua população a utilizar dos bens e serviços existentes na cidade de Santo Antônio de Jesus/BA, ocasionando a “fuga” de recursos financeiros de uma cidade para outra. Para o desenvolvimento do estudo proposto nesta pesquisa, utilizamos como metodologia a aplicação de questionários à população, a realização de pesquisa com gestores municipais e a coleta e análise de dados do IBGE e SEI/Bahia

Palavras-chave: Microcefalia Urbana; Centralidade; Comércios e Serviços

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

EXPRESSÕES E SIGNIFICADOS DA CENTRALIDADE DO SETOR VAREJISTA EM IMPERATRIZ – MA: REFLEXÕES A PARTIR DO SEGMENTO DE CONFECÇÕES DO CALÇADÃO

Autor(es): Lucas Ribeiro da Silva; Laila Santos Silva; Jailson de Macedo Sousa

Resumo: O presente estudo buscou compreender as expressões e significados da centralidade econômica desempenhada pelo comércio varejista na cidade de Imperatriz. O recorte espacial eleito para este estudo é o Calçadão que é uma área tradicional deste segmento comercial, que concentra a maior quantidade de estabelecimentos ligados ao setor varejista. Neste contexto, procurou-se refletir sobre os aspectos históricos da urbanização brasileira e os seus desdobramentos na região Amazônica, enfatizando nesse cenário o caso específico de Imperatriz. Também procuramos relacionar as formas de comércio encontrados no Calçadão com a formação de centralidade conduzida pelo setor terciário na cidade, para então caracterizar sua importância regional em virtude do grande número de pessoas oriundas de outros municípios circunvizinhos e até mesmo outros estados, como é o caso do Pará e Tocantins, que vem em busca de produtos ligados ao segmento de confecções. Como estratégias metodológicas foi adotada a abordagem Marxista que fomentou a discussão acerca dos principais elementos da centralização do comércio varejista no Calçadão de Imperatriz, além das técnicas de observação simples e entrevista estruturada.

Palavras-chave: Centralidade; Comércio varejista; Calçadão; Imperatriz

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

FEIRAS LIVRES REGIONAIS: ESTUDO DE CASOACERCADAS TRANSFORMAÇÕESCOMERCIAISNA FEIRA DE SUMÉ-PB

Autor(es): Gustavo dos Santos Costa; Lincoln da Silva Diniz

Resumo: Historicamente, a Feira Central de Sumé acompanhou diversas transformações econômicas, sociais e políticas que refletiram em sua dinâmica interna. A mais recente e impactante delas foi à intervenção do poder público, através do processo de relocação da mesma, sendo transferida do centro comercial tradicional para a periferia da cidade. Tal ação resultou em diversas modificações, agravando o processo de decadência da respectiva feira livre. A referida feira ainda possui um importante papel na economia local e regional, em decorrência de sua própria dinâmica de distribuição da produção local e as técnicas arcaicas de transporte e armazenagem que necessita de vasta mão-de-obra, chegando a empregar diretamente mais de 700 pessoas na década de 1980. Dessa forma, o respectivo estudo busca fazer uma análise da influência desta feira na formação da cidade e no desenvolvimento da economia local e regional. A questão das ressignificações do centro comercial também faz parte desta pesquisa. Todavia, as análises abarcarão outras esferas, além da econômica, objetivando compreender de que forma ela contribuiu para a produção do centro comercial no imaginário dos habitantes. Para viabilizar esta pesquisa, a metodologia utilizada será de cunho qualitativo, onde serão empregadas técnicas de pesquisa científica para melhor investigar o caso.

Palavras-chave: Relocação da feira; Intervenção do Estado; Centro comercial; Ressignificação

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

FORTALEZA E O MAR: A APROPRIAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS LITORÂNEOS, O CASO DO VILA DO MAR.

Autor(es): Regina Balbino da Silva; Alessandra Viana de Souza; Mara Mônica Nascimento da Silva; Nara Gabrielle de Sousa Silva

Resumo: No século XIX, transformações econômicas no Ceará consolidam Fortaleza como centro econômico do estado. As mudanças de ordem econômica também vieram atreladas a mudanças culturais. Esses novos costumes colocam o mar em destaque. Este, até então, era visto como algo maléfico, misterioso e impuro. Hoje, o espaço litorâneo é fortemente marcado pela diversidade de usos e conteúdos tendo em vista a relação da sociedade com o mar. Dessa forma, nota-se camadas da população que se apropriam desse espaço muito diferentes do século XIX. Entra em cena as novas formas de lazer no espaço litorâneo, assim como a incorporação de espaços públicos como forma de incentivo ao lazer. O presente artigo tem como objetivo principal entender de que forma se dá o processo de apropriação dos espaços públicos litorâneos em Fortaleza – Ceará, destacando o caso do Projeto Vila do Mar. Para isso, foram realizados os procedimentos de: revisão bibliográfica, trabalho de campo com finalidade de observação e descrição e entrevistas estruturadas destinas aos frequentadores do Projeto Vila do Mar. Os resultados indicam para a progressiva transformação dos espaços públicos em espaços de consumo a partir dos interesses de agente que atuam no cerne destes processos.

Palavras-chave: Espaços públicos; Espaços litorâneos; Apropriação; Mudanças Culturais

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

LOTEAMENTO FECHADO COMO “LUGAR DE CONSUMO”

Autor(es): Guilhermina Castro Silva; Antonio Cardoso Façanha

Resumo: Esta pesquisa teve como objetivo é o discutir a cidade a partir da expansão e espacialização dos loteamentos fechados em Teresina, Piauí, indicando de forma seminal os discursos publicitários dos empreendimentos imobiliários. Foi realizada a identificação dos loteamentos fechados existentes no perímetro urbano e uma pesquisa em informes publicitários presentes em jornais, panfletos, sites das imobiliárias e nos vídeos publicados na internet identificando as palavras, frases, ilustrações e imagens utilizadas como marketing para atrair os consumidores desse novo produto imobiliário. Percebeu-se que são utilizadas estratégias visuais e escritas que induzem os futuros consumidores dos loteamentos fechados a buscarem de forma mais concentrada a zona Leste da cidade, fato que pode gerar mudanças na paisagem urbana, bem como novos desafios à gestão pública municipal.

Palavras-chave: cidade; loteamentos fechados; produto imobiliário; discurso publicitário

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

MERCADOS PÚBLICOS: UM NOVO TEMPO, UM NOVO USO: O MERCADO NOVO DE MOSSORÓ

Autor(es): José Lacerda Alves Felipe

Resumo: Os mercados públicos surgem quando a concentração da população em vilas, povoados e cidades demanda consumo de alimentos em quantidade e qualidade, que as feiras não conseguem atender. No Brasil, os mercados públicos, para suprir a população de alimentos, surgem nas últimas décadas do século XIX, cujas referências históricas são os mercados construídos no Rio de Janeiro entre os anos de 1841 e 1858. No Rio Grande do Norte, o primeiro mercado público foi construído em Mossoró em 1875, passando a funcionar em 1877. Em Natal, o Mercado Central ou da Cidade Alta é inaugurado em 1892. Mossoró constrói o seu segundo mercado público, o Mercado Novo, no bairro do Alto da Conceição, mais precisamente na Avenida Alberto Maranhão, quando no bairro e na citada avenida localizaram-se as fábricas de óleo de oiticica e de algodão, as moageiras de sal, as oficinas e fundações que faziam manutenção e reparos nos motores e maquinários; das algodoeiras, fábricas de óleos e de sabão, das salinas e das moageiras que refinavam o sal. A localização dessas fábricas demandava um contingente de trabalhadores, que povoaram o bairro e suas adjacências, criando consumidores que viabilizavam esse centro de comercialização de alimentos. Com as transformações na economia do Brasil aliada aos processos de inovação tecnológica e a modernização das atividades comerciais, os mercados públicos perderam a sua função, impondo um novo uso para essa forma geográfica.

Palavras-chave: Mercado; Mossoró; Território

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

MÍDIA, CONSUMO E INFÂNCIA: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DA YOUTUBER MIRIM BRASILEIRA JULIANA BALTAR PARA O CONSUMO INFANTIL

Autor(es): Liliane Luz Alves; Alessandra Ribeiro Naka Harumi; Antonio Jerfson Lins de Freitas

Resumo: Este estudo objetiva analisar dois vídeos da Youtuber mirim Juliana Baltar que, aos nove anos de idade, possui mais de 2.008.999 inscritos e 646.198.903 visualizações em seu canal e faz bastante sucesso entre as outras crianças devido às temáticas, os brinquedos e as brincadeiras ali abordados. Os vídeos foram escolhidos porque Juliana Baltar comporta-se como consumidora e é influência para seu público. Este trabalho apresenta os fundamentos teóricos a respeito de mídia, consumo e infância, buscando defini-los e relacioná-los, utilizando os estudos de Souza (2007), Canclini (2010) e Amorim e Castro (2010). A relevância dessa pesquisa decorre do fato de a relação das crianças com as mídias ser bastante íntima e intensa, sendo elas consumidoras que decidem o que querem comprar. As pessoas se permitem definir pelo consumo a partir do qual constroem a identidade social. Assim, a criança também se insere no mundo como consumidora, deixando o papel passivo e podendo fazer publicidade para outras crianças. É importante para que se compreenda a influência da mídia na infância, a forma como as crianças se comportam diante das mídias digitais e como pensam a partir do contato com o produto e, ainda, contribuir de alguma maneira para os estudos da relação entre Mídia e infância.

Palavras-chave: Consumo infantil; Youtuber mirim; Juliana Baltar

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

MIGRAÇÃO E TRABALHO: O COMÉRCIO COMO FORMA DE INSERÇÃO DE MIGRANTES NOS BAIRROS SEMINÁRIO E VILA ALTA EM CRATO/CE

Autor(es): José Eudivan Alves da Silva; Tallison Rocha Lima; Maria Soares da Cunha; José Itallo Silva Ribeiro

Resumo: O presente estudo se volta a discutir o processo de inserção de migrantes no setor de comércio nos bairros Vila Alta e Seminário em Crato-CE. Fundamenta-se numa abordagem qualitativa e descritiva e embasa-se teoricamente em Becker (1997), Singer (1998), Pintaudi (2009), Diniz (2011), entre outros. O aporte metodológico é pautado em levantamento bibliográfico, trabalho de campo e discussão dos dados. As questões norteadoras são: a atividade comercial se apresenta com papel importante no processo de inserção de migrantes na dinâmica intraurbana? De que forma os sujeitos migrantes contribuem para o processo de produção e transformação deste espaço, tomando-se o Crato como recorte empírico.Na etapa de campo foi realizada aplicação de entrevistas semi-estruturadas, coletando-se informações junto a doze migrantes nos recortes espaciais escolhidos no período compreendido entre dezembro de 2016 a fevereiro de 2017. Os resultados apontam para um expressivo número de mulheres comerciantes entre os informantes e a diversidade de elementos explicativos para a chegada e atuação de migrantes nesse setor nos dois bairros estudados. Os migrantes são protagonistas de uma história e denotam ligações a um contexto econômico geral e específico. Não devem ser concebidos como entes individualizados e ahistóricos. Estes sujeitos contribuem na produção do espaço urbano cratense e no comércio local e regional. O processo de sua inserção na dinâmica intraurbana merece ser estudado de forma cuidadosa pela ciência geográfica.

Palavras-chave: Migrantes; Dinâmica intraurbana; Bairros Vila Alta e Seminário- Crato/CE

Grupo de trabalho: GT 3 - Mobilidades e redes comerciais nas cidades nordestinas

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

MOBILIDADE, ACESSIBILIDADE E CENTRALIDADE DO COMÉRCIO E SERVIÇOS: ANÁLISE DOS BAIRROS CIDADE NOVA E ALTO DO RECREIO EM SERRINHA-BA

Autor(es): Ciciane Santos Oliveira Souza; Maria da Paz de Jesus Rodrigues

Resumo: Este artigo tem a finalidade de realizar uma investigação sobre centralidade do comércio e serviços na cidade de Serrinha-Bahia e tecer uma análise sobre as formas de deslocamento utilizadas pela população, em especial, no bairro da Cidade Nova e no Conjunto Habitacional Alto do Recreio. A nossa proposta de análise foi compreender as relações de mobilidade e acessibilidade em Serrinha, considerando a precariedade da oferta comercial, de serviços e equipamentos públicos nos bairros selecionados e, por extensão, a concentração nas áreas centrais. Para a elaboração do artigo, foram realizadas pesquisas bibliográfica e documental, essenciais para fundamentar as discussões e obter informações e dados sobre a população de Serrinha e frota veicular. Realizou-se pesquisa de campo, recorrendo a observações, registros fotográficos, entrevistas com agentes que atuam na regulação e oferta dos serviços de transporte coletivo e aplicação de questionários com os moradores das áreas estudadas. Constatou-se que tanto o bairro da Cidade Nova como o Alto do Recreio, possuem características semelhantes quanto às limitações de mobilidade e acessibilidade dos moradores, haja vista que tanto um quanto o outro são localizados em áreas distantes do centro da cidade, segregados socioespacialmente, apresentando escassez de serviços básicos e uma incipiente atuação do poder público.

Palavras-chave: Mobildade; Acessibilidade; Centralidade

Grupo de trabalho: GT 3 - Mobilidades e redes comerciais nas cidades nordestinas

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

MUDANÇAS, RECRUDESCIMENTO E RESISTÊNCIA DA FEIRA LIVRE DO CRATO - CE: ESTUDO QUALITATIVO

Autor(es): Francisca Marayane Pereira; Maria Soares da Cunha; Maria Dayane Pereira

Resumo: Este artigo objetivou levantar reflexões críticas e estimular o debate sobre o processo de recrudescimento e/ou resistência de atividades na feira livre do Crato-CE. O estudo fundamenta-se numa abordagem qualitativa e descritiva e embasa-se teoricamente em Carneiro (2014), Almeida (2009), Dantas (2008), Godoy (2005), dentre outros. A metodologia é pautada em levantamento bibliográfico e trabalho de campo. Foi realizada observação no campo, aplicação de entrevistas semiestruturada junto a seis feirantes e seis consumidores da feira livre do Crato-CE, entre o período de 28 de Março á 04 de Abril de 2016. Os resultados da pesquisa apontam para a necessidade de incentivos por parte dos órgãos públicos, visto que dos doze entrevistados todos relataram que a feira livre da cidade do Crato-CE sofreu uma grande redução em termos quantitativos de participantes, em sua área de abrangência e no raio de atividades.

Palavras-chave: Feiras Livres; Permanência; Dinâmica Socioespacial; Crato - CE

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

NOVAS FORMAS COMERCIAIS E AS EXPRESSÕES DA CENTRALIDADE URBANA DE IMPERATRIZ- MA: UMA ANÁLISE A PARTIR DA INSTALAÇÃO E DINAMISMO DOS SHOPPINGS CENTERS

Autor(es): Laila Santos Silva; Lucas Ribeiro da Silva; Jailson de Macedo Sousa

Resumo: Este estudo analisa aspectos fundamentais das novas formas comerciais e as expressões da centralidade urbana da cidade de Imperatriz. Abordamos de início, algumas considerações sobre o fenômeno urbano do Brasil, que se apresenta de forma complexa e diversificada. Teve influência nesse cenário, distintas determinações, entre as quais destacamos: o desenvolvimento de várias atividades econômicas que promoveram maior dinamismo das cidades, como é o caso da industrialização que favoreceu a expansão do fenômeno urbanos no centro-sul do país. Os reflexos desses processos são visíveis na realidade amazônica, onde se insere a cidade de Imperatriz que é objeto desta investigação. Por meio deste estudo, tivemos a inquietação de compreender as expressões da centralidade urbana desenvolvida por esta cidade, através da instalação e dinamismo dos shoppings centers. Este estudo está apoiado na abordagem teórica marxista, amparada no uso do método dialético. Estas construções metodológicas se apoiaram nas contribuições fornecidas por Trivinos (2011) e Gil (2008). Utilizamos como técnicas para a coleta de dados: a observação simples e adoção de entrevistas semi-estruturadas.

Palavras-chave: Shoppings centers; Imperatriz; dinamismo,

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O BAIRRO DOM EXPEDITO EM SOBRAL-CE E SUAS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS

Autor(es): Joffre Fontenelle Filho

Resumo: O artigo discorre sobre a produção do espaço intraurbano de Sobral-CE, com o objetivo confirmar a ideia de que o desenvolvimento social não é resultado direto e imediato do crescimento econômico de um lugar. As desigualdades socioespaciais resultantes desse processo ocorrem no mundo e também no bairro em foco. Inicialmente são apresentadas algumas informações sobre o passado recente do bairro e em seguida são destacadas as principais transformações que deram uma fisionomia e uma dinâmica diferentes ao lugar. Na parte final do texto, descrevesse a atuação dos principais elementos produtores do espaço urbano em destaque no bairro: as empresa, o poder público municipal e a comunidade que ali reside.

Palavras-chave: Bairro; Transformações; Desigualdades.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O CIRCUITO SUPERIOR E INFERIOR DO COMÉRCIO DE FLORES EM FORTALEZA

Autor(es): Kassia Kiss Silva da Costa; Camila Dutra dos Santos

Resumo: O estado do Ceará possui cinco regiões produtoras de flores e plantas ornamentais: Cariri, Maciço de Baturité, Região Metropolitana, Vales do Curu e Aracatiaçu e Planalto da Ibiapaba. Sendo essa última a principal região que abastece o comércio de flores em Fortaleza-Ce. Analisar como se desenvolve o comércio de flores em Fortaleza, a partir da teoria dos dois circuitos da economia urbana, de Santos (2008), é o objetivo principal desse trabalho. A metodologia utilizada baseou-se, principalmente, em levantamento de material bibliográfico; organização de pesquisa documental; coleta de dados estatísticos; organização de hemeroteca; e realização de trabalhos de campo.

Palavras-chave: Circuito superior; Circuito Inferior; Comércio de flores; Fortaleza.

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O COMÉRCIO E O CONSUMO EM LIMOEIRO DO NORTE-CE: UMA ANÁLISE DA TRANSIÇÃO PARADGMÁTICA DAS FORMAS COMERCIAIS E DOS CONSUMIDORES

Autor(es): Kélbia Geísa Oliveira Chaves; Virginia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: A forma comercial varejista e o consumidor são dois elementos que sofreram significativas interferências do processo de remodelagem do comércio em Limoeiro do Norte, em parte acompanhando uma tendência própria dos nossos tempos. Com o intuito de gerar uma reflexão sobre o urbano a partir da abordagem da atividade comercial varejista, iremos apresentar nesse artigo características consequentes da metamorfose nos elementos acima citados. Essas características são baseadas em um ponto-chave: A instalação do supermercado Pinheiro, que trouxe novas formas de venda, agregando ao local novos padrões de venda e consumo. A atividade comercial varejista sendo a principal atividade econômica da cidade, o espaço urbano de Limoeiro do Norte teve sua dinâmica e paisagem alteradas. Essas mudanças não se restringem, por sua vez, ao espaço físico, mas se estende às relações sociais, hábitos e costumes reproduzidos no cotidiano. Assim, as formas comerciais varejistas e os consumidores em Limoeiro do Norte representam ao mesmo tempo produtos e produtores do espaço urbano e da lógica comercial que os rege.

Palavras-chave: Espaço urbano; Atividade comercial; consumo

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O CONSUMO DE ÁGUA NO ESPAÇO URBANO E O COTIDIANO FEMININO: A REALIZAÇÃO DE TAREFAS DOMÉSTICAS

Autor(es): Dinar Souza da Silva; Juliana Cristina das Chagas de Melo; Laura Susana Duque Arrazola

Resumo: O presente trabalho traz o consumo de água dentro de um contexto em que este é um bem de consumo coletivo, que atende as necessidades básicas à manutenção da vida. Defende-se que tanto no espaço urbano como em outros contextos, a água deve ser de boa qualidade e garantida através de serviços públicos de infraestrutura. Sendo assim, ela é utilizada para diversos fins, dentre eles atividades domésticas que, em sua maioria é realizada por mulheres. O objetivo deste artigo é proporcionar uma reflexão acerca do consumo de água no espaço urbano para realização de afazeres domésticos, enfatizando uma discussão de gênero, em que questione o papel feminino nas atividades do lar, para a manutenção da família. Destaca-se a precarização do acesso e consumo de água em comunidades localizadas em áreas urbanas periféricas que geograficamente não se encontram em locais onde há seca, mesmo assim, a distribuição da mesma entre os diversos bairros não se dá em pé de igualdade, vitimando quase sempre as comunidades formadas por sujeitos com baixo poder aquisitivo, criando assim um obstáculo para a realização das atividades delegadas às mulheres nos cuidados com o lar.

Palavras-chave: Espaço urbano; mulheres; consumo de água

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O CONSUMO DO CARRO COMO ELEMENTO DE IDENTIDADE SOCIAL

Autor(es): Maria Helena Moraes Batista

Resumo: Na sociedade moderna, o consumo de bens e serviços passou a ter diversas funções que vão além de satisfazer os desejos e necessidades dos consumidores. As pessoas buscam opções de consumo baseadas inicialmente em fatores econômicos e posteriormente fatores culturais e sociais que representem seus estilos de vidas. O consumo tem forte influência na formação da identidade dos consumidores que buscam um meio de se expressarem no meio em que vivem. Longe de ser um fenômeno local, o consumo do automóvel como forma de construir ou ajudar a construir uma identidade do indivíduo é um fenômeno global. Várias sociedades apresentam os mesmos movimentos de valorização do indivíduo através do veículo que ele possui. Esse fenômeno afeta pessoas de várias culturas ao redor do mundo, mesmo que algumas faixas etárias mais novas venham demonstrando cada vez menos interesse no automóvel como símbolo de status. O objetivo dessa revisão é contextualizar o consumo do automóvel como elemento de identidade dos consumidores, seus desejos e objetos no cotidiano da vida moderna, buscando identificar quais os aspectos que estariam sendo postos em segundo plano pelos consumidores mais jovens.

Palavras-chave: Consumo, Identidade, Carro

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O DISTRITO DE TAPERUABA-SOBRAL(CE): UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS

Autor(es): Renato Oliveira Barros; Virgínia Célia Cavalcante de Holanda

Resumo: O entendimento da ocupação, organização e produção de qualquer território é uma tarefa árdua, uma vez que essa é a soma de vários elementos. Assim, a pesquisa em questão intenta realizar um estudo sobre as transformações socioespaciais do distrito de Taperuaba, localizado no Município de Sobral no noroeste cearense. Para tanto foi necessário inicialmente leituras de autores que discutam no âmbito da Geografia o conceito de espaço, lugar e território. Na parte operacional da pesquisa realizamos registros fotográficos, conversas com moradores mais antigos, observações diretas, levantamento de trabalhos científicos e documentais sobre o distrito em tela. As referidas etapas são primordiais para a realização de um esforço de periodização na tentativa de compreender a organização e ocupação do território taperuabense. A periodização realizada resultou na identificação de três momentos no processo de ocupação e sobrevivência no distrito, momentos distintos mas encadeados entre si. O primeiro momento com predomínio da produção da agropecuária; o segundo momento sobressaindo à cultura do algodão em maior escala e o último a produção e comercialização do bordado.

Palavras-chave: Periodização; Transformações Socioespaciais; Taperuaba

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O ENSINO SUPERIOR EM TERESINA-PI: ESTADO, MERCADO E ESPAÇO URBANO

Autor(es): Luís Carlos Batista Rodrigues; Antonio Cardoso Façanha

Resumo: O recente processo de modernização do território brasileiro e de seus subespaços se dá a partir da renovação do seu aparato técnico e científico. Nesse processo, o ensino superior configura-se como um elemento essencial, mas, como os demais “elementos modernos”, distribui-se de maneira seletiva no território. A cidade de Teresina-PI também passa por esse processo de modernização que, embora tardia, apresenta esses elementos, dentre eles as instituições de ensino superior, que se distribuem na cidade de acordo com as motivações específicas. No caso das instituições privadas, que são a maioria, observa-se a nítida lógica mercadológica na sua dinâmica. Este trabalho tem por objetivo, portanto, compreender a dinâmica das IES no espaço urbano teresinense, evidenciando a ação do Estado e dos agentes privados, bem como a relação entre ambos. Para atender a tal proposta, evidenciam-se os agentes presentes no processo de expansão do ensino superior em Teresina, bem como os processos por eles promovidos e/ou estimulados.

Palavras-chave: Instituições de Ensino Superior; Estado; Mercado; Teresina-PI

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O PAPEL DOS SHOPPING CENTERS NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA: CENTRALIDADES, COMÉRCIO E CONSUMO

Autor(es): Tiago Estevam Gonçalves; José Borzacchiello da Silva

Resumo: No que tange à metropolização de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, Brasil, novas leituras sobre os shopping centers, enquanto grandes superfícies comerciais, se fazem necessárias. Nessa perspectiva objetivo analisar o papel dos shopping centers nas novas lógicas de produção de centralidades e suas implicações no espaço metropolitano de Fortaleza. Depreende-se que novos conteúdos de Fortaleza podem ser apreendidos, problematizados e investigados, tendo como instrumental reflexivo as categorias, as dinâmicas e os processos espaciais ligados às atividades terciárias. O pressuposto teórico-metodológico está baseado em Henri Lefebvre, tendo como categoria analítica o espaço, mais especificamente a produção do espaço urbano-metropolitano. Considera-se que os shoppings com sua natureza agregadora de atividades, aglutinando diversos ramos do comércio, serviços e lazer, aliada ao seu porte e à sua escala, passaram a ocupar parcelas significativas do espaço, provocando alterações na produção e estruturação da Região Metropolitana de Fortaleza.

Palavras-chave: Metrópole; Shopping Center; Metropolização; Centralidades

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O SERVIÇO DE SAÚDE EM SOBRAL: A EXPRESSÃO DA CIDADE MÉDIA NA FORMAÇÃO DA REDE DE ATENDIMENTO PÚBLICA E PRIVADA

Autor(es): Maria Cássia de Sá

Resumo: A prestação de serviços de saúde assume na atualidade, expressiva dinâmica econômica, uma vez que estes seguem uma lógica de territorialização em locais que possibilitam um consumo mínimo desse serviço, dado a raridade do consumo a partir da oferta especializada. Nesse sentido, a presente reflexão traz um estudo da expressividade que Sobral assume enquanto cidade média localizada no Noroeste do Estado Ceará, na constituição da rede de atendimentos de serviços de saúde público e privada, uma vez que estes se territorializam em pontos seletivos do território. O Sistema de Saúde brasileiro abrange, além do Sistema Único de Saúde - SUS, o Sistema de Saúde Suplementar e o Sistema Desembolso Direto, realizamos uma pesquisa documental sobre a organização dos sistemas de saúde, ao mesmo tempo em que montamos de um banco de dados acerca da oferta em Sobral, a partir das informações do CNES (DATASUS). As cidades médias, como centro de oferta de bens e serviços à região que polariza, possibilita a implantação das Regiões de Saúde, que buscam territórios com base na densidade técnica que os municípios abrigam, seguindo a racionalidade capitalista de acumulação, em que tanto a iniciativa privada, quanto o sistema público de saúde, utiliza o território como recurso.

Palavras-chave: Serviços de Saúde; Cidade Média; Sobral

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

O USO DO ESPAÇO URBANO, POR MEIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE CULTURA PARA A JUVENTUDE: O CASO DO CENTRO URBANO DE CULTURA, ARTE, CIÊNCIA E ESPORTE- CUCA BARRA, EM FORTALEZA-CE

Autor(es): Rachel Facundo Vasconcelos de Oliveira

Resumo: As políticas públicas culturais voltadas para os jovens, nos ajudam no processo de democratização da cultura, uma vez que a juventude de Fortaleza é uma parcela expressiva da população, situada principalmente na periferia que vive em situação de risco e vulnerabilidade social. Diante disso, houve a criação de um centro urbano de cultural, arte, esportes e ciências intitulado de Cuca Barra (2009), voltado para os jovens de 15 a 29 anos, ofertando cursos e atividades esportivas, sendo atualmente referencia no Brasil todo como um equipamento que materializa as ações do poder público na gestão de políticas sociais. Deste modo, procuramos investigar quais são os motivos e problemas enfrentados pelos jovens da capital cearense, levando em conta as ações que o poder público realiza. O objetivo do artigo é evidenciar como essa instalação modificou as dinâmicas socioculturais dos frequentadores. Utilizou-se como metodologia a pesquisa qualitativa, com levantamentos bibliográficos e pesquisa de campo. Com esta análise foi possível mostrar as mudanças na vida dos frequentadores e a diminuição considerável dos índices de violência que ocorriam em seu entorno.

Palavras-chave: Política Pública; Juventude; Socioculturais

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

OS CENTROS COMERCIAIS PLANEJADOS E SUA INFLUÊNCIA NO SURGIMENTO DE NOVAS CENTRALIDADES UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE - RS

Autor(es): Caio de Andrade Pandolfo; Solismar Fraga Martins

Resumo: O espaço urbano como complexo e dinâmico campo de pesquisa possibilita ao pesquisador diversificadas perspectivas de análise, podendo o mesmo direcionar seus esforços em compreender um determinado aspecto dessa temática, ou buscar analisar os fenômenos mais gerais. As dinâmicas e os processos de produção do espaço urbano podem ser diferentes, pois mesmo inseridos dentro de uma mesma cidade, uma rodovia, um conjunto habitacional ou um grande empreendimento comercial, podem mudar drasticamente a realidade local, tornando-se, então, uma problemática a ser analisada, a fim de buscar entender tais modificações e suas implicações no cotidiano dos indivíduos envolvidos neste processo. Visando uma análise detalhada de tais fenômenos, elegeu-se dentro desse município uma área de estudo que apresenta alguns aspectos anteriormente citados. Encontram-se localizados dentro dessa área de análise, um grande empreendimento do setor terciário (na forma de um shopping center), um novo conjunto habitacional voltado para classe média e um bairro popular consolidado com mais de 30 anos. Tais empreendimentos imprimem no espaço urbano sua marca, modificando a paisagem e o modo de vida das pessoas, sendo a análise destes impactos pilar base na construção da presente pesquisa.

Palavras-chave: Produção do Espaço Urbano; Shopping Center; Espaço Urbano

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

OS ESPAÇOS DE LAZER E O CONSUMO NAS CIDADES

Autor(es): Laudenides Pontes dos Santos

Resumo: RESUMO Este artigo tem como tema o lazer que, sobretudo na sociedade industrial se tornou uma esfera importante da vida social e a sua ascensão como um ramo de mercado nas cidades. O objetivo principal é discutir a importância do lazer a ineficiência dos espaços públicos de lazer das cidades atuais e o lazer como uma forma de consumo. É um artigo bibliográfico, pois visou fazer uma discussão teórica sobre os temas lazer, espaço público e consumo nas cidades. Como resultados, percebeu-se conforme os autores pesquisados que o lazer é muito importante para as pessoas seja para a qualidade de vida seja para a socialização, no entanto, as cidades muitas vezes não oferecem espaços públicos adequados para as atividade de lazer, dessa forma a esfera privada encontra aí uma oportunidade de negócio ofertando novos espaços de lazer com mais estrutura e segurança.

Palavras-chave: lazer; espaço público; consumo

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

OS SERVIÇOS DE SAÚDE NA 10ª CRES/LIMOEIRO DO NORTE

Autor(es): Keila Andrade Haiashida; Ricardo Hélio Chaves Maia

Resumo: O Sistema Único de Saúde (SUS) tem adotado como diretriz a regionalização, que orienta o processo de descentralização das ações e serviços de saúde e os processos de negociação e pactuação entre os gestores. Nosso objeto de estudo se restringe ao movimento de regionalização e descentralização com ênfase na 10ª CRES/Limoeiro do Norte. O objetivo da pesquisa foi descrever a estruturação do consórcio intermunicipal e seus dois aparelhos de saúde: as Policlínicas e os Centro de Especialidades Odontológicas (CEOs). A regionalização da Saúde do Ceará está representada por 22 regiões e 5 macrorregiões (Fortaleza, Sobral, Sertão Central, Litoral Leste/Jaguaribe e Cariri), onde se estrutura o sistema estadual. A 10ª Região de Saúde é composta por 11 municípios. O Ceará decidiu pela formação de consórcios públicos em saúde tomando por base os municípios localizados numa mesma região para garantir a estruturação de redes de assistência, ampliar e facilitar o acesso da população aos serviços de saúde na própria região. São constituídos sob a forma de associação pública, entidade autárquica e interfederativa, com participação do Estado e dos municípios em cada região, para a promoção de ações de saúde pública assistenciais e prestação de serviços especializados de média e alta complexidade. O Consórcio Público de Saúde do Município de Limoeiro do Norte oferta a Policlínica Judite Chaves Saraiva, inaugurada em 2014 que presta assistência à uma população de aproximadamente 222.195 mil habitantes e o CEO Dr. João Eduardo Neto.

Palavras-chave: Regionalização; Descentralização; Consórcios

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

PRODUZINDO NO CAMPO, NEGOCIANDO NA CIDADE: DINAMISMO ECONÔMICO E REGIONAL A PARTIR DE UM ARRANJO PRODUTIVO LOCAL EM PICOS/PI

Autor(es): Juscelino Gomes Lima

Resumo: O presente artigo busca analisar a dinâmica produtiva do Arranjo Produtivo Local da cajucultura na Microrregião da cidade de Picos/PI. Para tanto, é tomado como referência e identificação, as diferentes instituições e suas políticas/ações de incentivo, bem como os atores sociais envolvidos para crescimento e desenvolvimento do referido APL. Com vistas ao objetivo proposto, a fundamentação metodológica se deu a partir de dois enfoques: a primeira, a partir de uma revisão de literatura e obtenção de dados secundários e uma segunda, de natureza empírica. Concluiu-se que a importância daquela cidade piauiense no contexto das dinâmicas produtivas do arranjo da cajucultura no interior de sua Microrregião se faz comparativamente à presença de “portas” em uma moradia, as de entradas e as de saídas, ambas no caso desta pesquisa, no formato de diferentes oportunidades. As primeiras, relacionada à oportunidade de acordos/negociações comerciais e convênios, a partir da presença de diferentes investidores e instituições interessadas em tais arranjos. Já as de saída funcionam como “loja das fábricas cooperadas” dos produtos comercializados regional e nacionalmente, fato que tem permitido fortes relações com o campo produtor e as cidades sob sua influência, fatos reveladores de um dinamismo econômico e regional.

Palavras-chave: Cajucultura; Dinamismo; Produção

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

QUANDO A “REGIÃO” MODIFICA AS DINÂMICAS TERRITORIAIS DO LUGAR: ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA PÓS-IMPLANTAÇÃO DA POLICLÍNICA BÁRBARA PEREIRA DE ALENCAR EM CAMPOS SALES, CEARÁ.

Autor(es): Mariano de Oliveira Carvalho

Resumo: Objeto de estudo e preocupação central da Geografia enquanto ciência o espaço geográfico percebeu diversas denominações no percurso de desenvolvimento científico e social. Dentre os diversos conceitos que fundamentam as discussões geográficas optamos por ensejar o debate partindo daquilo que se entende por região. Assim como relacionado ao conceito, as discussões acerca do enfoque regional também dão conta de peculiaridades inerentes ao mesmo que o torna valioso para o saber geográfico. É nessa seara da regionalização enquanto prática de planejamento que repousam as preocupações expressas neste breve trabalho. Acaso este mecanismo amplamente utilizado pelo aparelho estatal como via de otimização dos recursos e distribuição de equipamentos e serviços de modo a reduzir as desigualdades regionais não poderia tornar-se um catalisador para problemáticas locais? As práticas vinculadas ao desenvolvimento regional por vezes não poderiam contribuir para o aguçamento das mazelas localizadas? A região não estaria assim a modificar o lugar? O presente expediente visa apresentar elementos que possibilitem a discussão acerca da relação estabelecida (ou não) entre a implantação da Policlínica Bárbara Pereira de Alencar e a ampliação da especulação imobiliária no entorno deste empreendimento localizado na cidade de Campos Sales, CE.

Palavras-chave: Regionalização; Desenvolvimento Regional; Lugar

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

REDES DE NEGÓCIOS: REPERCUSSÕES SOCIOESPACIAIS

Autor(es): Izabelle Trajano da Silva

Resumo: O presente trabalho reporta a uma discussão mais ampla, a qual foi tecida na dissertação de mestrado, apresentada no Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal da Paraíba – UFPB em 2015. Todavia a discussão aqui apresentada enfoca uma forma comercial que vem se intensificando cada vez mais nos espaços das pequenas cidades brasileiras, trata-se, portanto, das redes de negócios, redes associativistas que apoiadas no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), traçam estratégias para comercializarem melhor. E são estas estratégicas que receberam um olhar geográfico, pois elas repercutem diretamente no espaço, transforma paisagens, geram fluxos de pessoas e mercadorias, e criam práticas sociais. As redes de negócios caracterizam-se por oferecer ao pequeno comerciante uma possibilidade de transformar-se e inserir-se em uma atmosfera mais tecnicizada, quando isso ocorre insere-se mais dinamismo ao espaço comercial. Assim, é importante ressaltar que as reflexões apresentadas neste trabalho foram desenvolvidas a partir de um estudo de caso, realizado na pequena cidade de Juazeirinho, localizada na mesorregião da Borborema e microrregião do Seridó Oriental e que embora não seja possível traçar generalizações a partir do estudo de um lugar é possível identificar as repercussões socioespaciais desta nova forma comercial denominada rede de negócios.

Palavras-chave: redes de negócios; Espaço; Pequena cidade

Grupo de trabalho: GT 3 - Mobilidades e redes comerciais nas cidades nordestinas

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

SHOPPING RIOMAR PAPICU (FORTALEZA-CE): ENTRE O FETICHISMO, A MERCANTILIZAÇÃO E O CONSUMO.

Autor(es): Ingrid Gomes da Silva; Débora Maria Paulino Viana Rodrigues; Túlio Viana Bandeira; Patrícia de Souza Lima; Camila Dutra dos Santos

Resumo: O artigo discute sobre o fenômeno da expansão dos shoppings centers como grandes equipamentos urbanos modernos, presentes nas cidades, que trazem uma série de características e atividades que o tornam uma subcentralidade, carregando imagens e símbolos persuasivos à aparência. O modelo de reprodução capitalista e suas bases acumulativas são relevantes para a investigação, para isso tem-se como objetivo a compreensão da materialização do Shopping Center através das contradições do espaço urbano enquanto alienador e percussor da exclusão/inclusão socioespacial. Este fenômeno urbano, além de ser um espaço de consumo de mercadorias, é um lugar onde se encontram serviços, alimentação e lazer e, atrelado a isso, envolve conflitos socioespaciais regidas sob o modelo capitalista. Nesse sentido, nosso objeto de análise é o Shopping Riomar Papicu, no sentido de discutir a ideologia dominante do surgimento e desenvolvimento dos shoppings e debater a premissa de espaço de consumo através do marketing, construtor de uma identidade social imbricada pela ideologia associada ao lazer e prazer social

Palavras-chave: Shopping Center Riomar Papicu, Alienador, Consumo.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

TERRITÓRIOS DA VIOLÊNCIA EM SOBRAL A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA E O CONSUMO NA CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Autor(es): Antonio Jerfson Lins de Freitas; Telma Bessa Sales

Resumo: A formação de territórios marcados pela violência, criando recortes urbanos segregados, fora do alcance de políticas públicas e, consequentemente, do poder do Estado, não é um fenômeno recente. Mais do que fruto do vácuo de poder estatal, a violência urbana é um fenômeno intimamente ligado ao consumo, ou melhor, à falta de acesso ao consumo. Se como afirma Lefebvre (1999) as cidades conseguem agregar serviços, bens, riquezas e principalmente pessoas, agrega também desejos e demanda de consumo. Contudo, nos centros urbanos não são criadas as condições necessárias para que grande parte da população tenha acesso a esse consumo. Assim, a fórmula concentração populacional, criação e agrupamento de desejos de consumo, falta e acesso ao consumo e falta de atuação do Estado na mediação de conflitos e do acesso ao consumo tem como resultado a marginalização de grande parcela social e, em muitos casos, gerando revolta e violência. Este artigo traz reflexões iniciais sobre estas questões, a serem desenvolvidas durante pesquisa realizada no Mestrado Acadêmico em Geografia da Universidade Vale do Acaraú, que trará como objeto a construção de territórios da violência no município de Sobral-CE, comparando especificamente dois bairros próximos, o Renato Parente e o Terrenos Novos, que mesmo separados por cerca de 3 km, trazem diferenças profundas em sua ocupação e consequente territorialização.

Palavras-chave: Violência urbana; Sobral; Território; Produção do espaço; Mercado imobiliário

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

TRABALHO E MOBILIDADE NO CONTEXTO DA PRODUÇÃO CAPITALISTA DO ESPAÇO: BREVES CONSIDERAÇÕES

Autor(es): Glauciana Alves Teles

Resumo: Este artigo discute questões relacionadas ao mundo trabalho, sua essência e transformações advindas com a expansão geográfica do capital sobre o Globo. Nesse contexto enfocamos a mobilidade da força de trabalho como um fenômeno marcante quando analisamos um recorte espacial, haja vista que o processo de Globalização, tem afetado a mobilidade de mercadorias e, sobretudo de pessoas, facilitadas pelo desenvolvimento de transportes e comunicação. Assim, a mobilidade da força de trabalho, fenômeno intrínseco à produção capitalista do espaço, adquire novos conteúdos e nos mais diversos espaços, especialmente nas cidades, unidos por um viés comum: a sua expansão geográfica cada vez mais aliada a expansão do capital.

Palavras-chave: Trabalho; Mobilidade da força de trabalho; Produção do espaço; Globalização

Grupo de trabalho: GT 3 - Mobilidades e redes comerciais nas cidades nordestinas

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

TURISMO, EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE: APONTAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS PARA O PLANEJAMENTO E GESTÃO DO TURISMO SUSTENTÁVEL NA CIDADE DE BOM JESUS DA LAPA-BA

Autor(es): Silvano Messias dos Santos; Paulo Roberto Baqueiro Brandão

Resumo: O turismo é, hoje, objeto de estudo de diferentes áreas do conhecimento. No campo educacional, sabe-se que as publicações sobre turismo geralmente são direcionadas à educação em turismo no âmbito do Ensino Superior, sem levar as discussões para o contexto da Educação Básica. Ainda que muito restrita a literatura específica sobre educação e turismo, a relação entre ambas as áreas é muito próxima, dada a natureza interdisciplinar que as envolve. Considerando a necessidade de as escolas diversificarem seus currículos com temáticas locais e emergentes, em regiões e cidades turísticas ou com potencial turístico é preciso reconhecer as potencialidades pedagógicas que há no turismo como fonte de aprendizagens e oportunidades de construção de saberes. Nesta perspectiva, partindo do princípio de cidade como espaço educativo e da necessidade de ações e políticas que direcionem o planejamento e a gestão do turismo para a promoção de sua sustentabilidade como exercício de cidadania, este trabalho tem como objetivo principal tecer reflexões acerca da tríade “turismo, educação e meio ambiente”, apresentando apontamentos teórico-metodológicos voltados ao planejamento e gestão do turismo sustentável, tendo como cenário de pesquisa Bom Jesus da Lapa-BA, onde o turismo religioso se apresenta como característica peculiar em relação às demais cidades baianas.

Palavras-chave: Turismo; Educação; Meio ambiente

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

UMA ANÁLISE DO SETOR VAREJISTA DE FLV NOS SUPERMERCADOS EXTRA EM FORTALEZA-CE

Autor(es): Tiago Fernando Gomes Barbosa; Juscelino Eudâmidas Bezerra

Resumo: O presente estudo tem como objetivo analisar a importância do setor de varejo, focando no seguimento de supermercados, levando em conta uma serie de especificidades como a definição, classificação e participação no processo de comercialização de produtos relacionados à área, com ênfase no setor de frutas, legumes e verduras frescos (FLV) nos supermercados Extra em Fortaleza - CE. O estudo desta temática justifica-se por oferecer um setor de FLV bastante dinâmico em sua logística de distribuição comercialização e por apresentar uma expressiva participação nas vendas total da bandeira EXTRA supermercados. A metodologia utilizada baseou-se em uma pesquisa de cunho exploratório. No primeiro momento, procedeu-se a busca por referências bibliográficas como livros, artigos, revistas especializadas, reportagens, como também foram coletadas informações nos sites ligados diretamente ao setor de varejo. Em um segundo momento, foi realizada uma pesquisa de campo do tipo quantitativo-qualitativa e exploratória, na qual se utilizou de entrevistas e questionários com o responsável direto pela seção de FLV aplica a quatro lojas de diferentes tamanhos. Os dados empíricos obtidos permitiu identificar que algumas variáveis relacionadas à comercialização de FLV estão diretamente ligadas a estratégias do setor, e não ao porte das lojas pesquisadas. Palavras-chave: Setor supermercadista; Varejo; Setor de FLV.

Palavras-chave: Setor supermercadista; Varejo; Setor de FLV.

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

UMA LEITURA DA CENTRALIDADE NO USO DO ESPAÇO PÚBLICO: O PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DO PARQUE DA CRIANÇA (CAMPINA GRANDE-PB)

Autor(es): Maria Jackeline Feitosa Carvalho; Giovana Tavares Lopes

Resumo: O presente artigo resulta de pesquisa de Iniciação Científica (PIBIC/UEPB 2014 -2015) , desenvolvida no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre o Urbano –GEUR/UEPB, e toma por enfoque a discussão da centralidade, aqui analisada pela relação com as novas formas de lazer na contemporaneidade, de modo a entender o lazer nas vivências do espaço público urbano. Tomaremos por destaque os usos e apropriações do Parque da Criança (Campina Grande-PB), o uso deste parque se destaca como dimensão de lazer e consumo em Campina Grande; visto que, o Parque da Criança redimensiona o Bairro onde se localiza. Amplo processo que resultou na requalificação do Bairro do Catolé no tecido da cidade como um subcentro, na medida em que a instalação do Parque da Criança, em conjunto com outros equipamentos públicos e privados, atua como papel central para constituir uma nova centralidade que consigo vincula o Parque da Criança à revalorização simbólica e econômica do Catolé. A centralidade no estudo do espaço público torna-se relevante por articular a constituição de novos usos, haja vista que os modos de vida e formas de lazer têm contemporaneamente transformados as noções de espaço, tempo e vivências. Assim, discutiremos o cotidiano e as formas de lazer a partir das percepções que têm por características a valorização do espaço onde está situado o parque, proporcionando localmente o lazer como consumo , de modo a valorizar o solo onde se localiza.

Palavras-chave: Centralidade; Espaço Público; Parque

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

URBANIZAÇÃO TURÍSTICA NA CIDADE DE MACEIÓ - ALAGOAS

Autor(es): Juliana Costa Melo; Paulo Rogério de Freitas Silva; Cícero dos Santos Filho

Resumo: Essa pesquisa tem como tema a urbanização turística, tendo por objetivo investigar o processo de urbanização turística da cidade de Maceió, Alagoas, a partir da implantação da rede hoteleira. A realização desse estudo se justifica devido à recente expansão da rede hoteleira em Maceió, que se estendeu, principalmente, ao longo da orla marítima da cidade, inclusive, provocando ampliação do espaço urbano em foco. Os resultados indicaram que a rede hoteleira começou a ser instalada no centro da cidade e com o princípio do desenvolvimento do turismo, novas áreas foram sendo incorporadas pela atividade e consequentemente novos equipamentos foram instalados nessas áreas, provocando a urbanização turística. A segunda fase de expansão ocorreu em torno da Praia da Avenida, tendo o seu funcionamento até o final dos anos oitenta do século XX. Com o fechamento desses hotéis, surge uma terceira fase nas orlas de Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca e, constatou-se que a quarta fase ocorreu nos bairros de Guaxuma, Garça Torta, Riacho Doce e Ipioca, que atraem empreendimentos turísticos de grande porte a exemplo dos vários resorts que foram instalados, assim como, hotéis, pousadas de charme, restaurantes, entre outros equipamentos.

Palavras-chave: -

Grupo de trabalho: GT 2 - Comércio e serviços no espaço urbano regional

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

VILA DO MAR NA COMUNIDADE DO GRANDE PIRAMBU: ESPAÇO DE RESISTÊNCIA NA CIDADE DE FORTALEZA - CE.

Autor(es): Sandra Paula Evaristo Monteiro

Resumo: A pesquisa objetiva de forma geral compreender o projeto de requalificação urbana “Vila do Mar” como um processo histórico-geográfico contraditório de vitória e adequação ao sistema (político-capitalista). Analisa a importância de organizações comunitárias compostas no Grande Pirambu, considerando esses canais como expressão de resistência e reivindicação popular para consolidação da democracia e como um princípio básico de alcance de direitos sociais. A hipótese a ser averiguada é se, de fato essa participação popular teve poder de atuação na transmutação de um projeto de urbanização conhecido como projeto Costa-Oeste, pelo atual Vila do Mar. Esse trabalho trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental.

Palavras-chave: Requalificação urbana, Associações comuitárias, Vi

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF

“UM POR TODOS E TODOS POR UM”. EXPERIÊNCIAS MUTUALISTAS NO NOROESTE DO CEARÁ. (1900-1970).

Autor(es): Carlos Augusto Pereira dos Santos

Resumo: A produção de estudos sobre o mundo do trabalho e a classe trabalhadora do Brasil, pouco a pouco se desloca do centro sul do país para atingir outras regiões e estados da federação. Neste sentido, o presente trabalho procura identificar formas de organização de feição mutualista no Ceará e mais especificamente, no noroeste cearense, dentro do espaço temporal das primeiras décadas do século XX, quando se observa no país um fenômeno associativo que também foi experimentado pelos trabalhadores na criação de diversas associações para suprir necessidades básicas negadas pelo Estado, ou mesmo para se afirmarem enquanto trabalhadores nos processos de sociabilidade

Palavras-chave: Trabalho, Trabalhadores, Mutualismo.

Grupo de trabalho: GT 1 - Cultura urbana, cotidiano e consumo

BAIXAR TEXTO COMPLETO EM PDF